Virgens são isentas de exame ginecológico para concurso da Polícia Civil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Uma polêmica envolve o concurso da Polícia Civil da Bahia: no edital da prova, há um item que dispensa o exame ginecológico para as mulheres com hímen integro. Ou seja, a candidata que não fizer os três exames clínicos solicitados pelo concurso terá que comprovar que é virgem.

 

A informação foi divulgada ontem à noite pela TV Bahia. O edital do concurso pede avaliação ginecológica detalhada, contendo os exames colposcopia, citologia e microflora.

 

A avaliação é eliminatória. O diretor da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, Celso Castro, disse à emissora que o item do edital é um erro e fere a Constituição. “É uma violação grave da privacidade e intimidade das pessoas”, afirmou o professor à TV Bahia.

 

Em nota enviada ao CORREIO, a Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb), responsável pelo concurso, informou que a inclusão desse item no edital é recorrente em concursos públicos em todo o país. “Não se configura uma cláusula restritiva, mas sim uma alternativa para as mulheres que, porventura, queiram se recusar a realizar os exames citados no edital”, informa a Saeb em nota.

 

O concurso oferece 600 vagas para delegado, escrivão e investigador. Os salários para os aprovados variam de R$ 1.558,89 a R$ 9.155,28.

Fonte: As informações são do Correio.

OUTRAS NOTÍCIAS