A morte de um operário revela a falta de segurança nas obras em Feira de Santana

 

Feira de Santana acompanhou nesta terça-feira (7) o resgate do corpo do operário Ricardo Santos Conceição, de 22 anos de idade, que foi soterrado quando o mesmo trabalhava em um trecho de obras de drenagem da rua Calamar, no bairro Conceição. O jovem realizava a implantação de uma rede de esgotos pluviais quando o solo cedeu. Não havia as contenções devidas no trecho em que ele estava cuja profundidade, segundo avaliação preliminar do Corpo de Bombeiros, era de cinco metros.

O fim desse triste episódio foi a morte deste operário que, conforme foi constatado, realizava o serviço sem os equipamentos de segurança necessários conforme dita as Normas de Segurança do Trabalho. A administração municipal emitiu nota que abrirá sindicância para apurar as circunstâncias do acidente.

Todos nós ficamos estarrecidos diante de tal tragédia “programada” porque foi preciso a morte de um operário para que chamasse atenção dos órgãos públicos do descaso com que essas empresas que prestam serviço à comunidade dispensam aos seus funcionários.

Fonte: Lizangela Veiga

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS