A vergonha é provocada por gestores e não ambulantes

O recém-empossado presidente da Associação Comercial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino, foi infeliz nas suas colocações sobre o comércio ambulante que acontece no centro da cidade.

O presidente cometeu um ato de discriminação ao solicitar que o prefeito José Ronaldo de Carvalho, presente a solenidade de posse, “liberte Feira dessa vergonha”.

Se os ambulantes se espalharam e povoaram o centro da cidade, o fizeram com a complacência ou autorização de todos os gestores que passaram por Feira de Santana nos últimos 40 anos.

O comercio informal nas principais ruas do centro da cidade tomou uma dimensão que jamais será resolvido por decreto ou em curto prazo.

No entanto, todos devem reconhecer que medidas urgentes devem ser adotadas com o fiel propósito de evitar o seu crescimento quantitativo, inviabilizando o crescimento financeiro do centro da cidade.

Essa seria uma medida de contenção enquanto não se se executa o projeto definitivo.

Marcelo Alexandrino foi antidiplomatico em seu discurso, tentou pressionar o prefeito José Ronaldo, presente à posse, e sentiu a reação.

Ronaldo afirmou que: “Queremos arrumar o Centro de Feira sem dor, através do diálogo.” Disse ainda que Pacto de Feira é o caminho, e concluiu dizendo que “Uns acreditam nesse pacto, outros não. Eu confio em quem coordena esse trabalho”.

O novo presidente da Associação Comercial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino não teve um bom início.

Fonte: Carlos Lima c/foto do Folha do Estado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS