Açougueiros devem regularizar situação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

Na tarde desta quinta-feira (7), uma audiência pública foi realizada no Auditório Dr. João Batista de Cerqueira, na Secretaria de Saúde, para debater a situação dos açougueiros que trabalham em feiras livres e no Centro de Abastecimento de Feira de Santana e que estão em desacordo às determinações do Ministério da Agricultura.

O promotor público da 16ª Vara do Ministério Público, Sávio Henrique Damasceno, abriu a sessão falando sobre o cumprimento da lei, que deve ser cumprida por todos. “Os açougueiros estão agindo de forma ilegal, pois estão colocando em risco a população ao vender carne imprópria. As instituições estão aqui para ajudar, mas o problema deve ser resolvido pelos comerciantes”. O governo municipal fará ações para agilizar a adequação dos locais para a comercialização.

Na última terça-feira, o Programa de Modernização e Aperfeiçoamento dos Açougueiros do Centro de Abastecimento foi lançado pela Settdec em encontro no Restaurante Popular. A proposta visa abrir o processo de Licitação Pública para a reforma do Galpão de Carne, para ser estruturado para receber os equipamentos.

No caso das feiras livres na Cidade Nova e Tomba, as determinações já devem ser cumpridas. Os locais têm estrutura receber os balcões refrigerados nos boxes. Nas demais feiras, que ainda não têm estrutura adequada, será realizado estudo para implantação de um projeto.

Formaram a mesa o promotor público da 16ª Vara do Ministério Público, Sávio Henrique Damasceno; o secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Junior; a coordenadora da Divisão de Vigilância Sanitária, Kerssia Mascarenhas; o gerente da Adab, Paulo Falcão; e o presidente da Câmara de Vereadores, Justiniano França.

Também estiveram na reunião o presidente da Associação de Abatedouros de Feira de Santana, Erivaldo Moraes, o vereador Zezito Correia, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Feira Livre, João Reis e vendedores de carne.

Fonte: Redação / Secom

OUTRAS NOTÍCIAS