Algo de podre boia nos bastidores da prefeitura de Feira de Santana/por Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Alerta anticorrupção foi preventivamente acionada no legislativo feirense pelo vereador Alberto Nery (PT). Fato ocorrido na última sessão ordinária da semana, quarta-feira (23). O pronunciamento questionou e colocou em suspeição a licitação milionária de R$ 77.411.980,80, definida para o dia 13 de outubro, na área de apoio administrativo e técnico operacional a ser implementado na Secretaria Municipal de Educação.

Ele afirmou que esse processo licitatório é um claro e forte indício para a existência  de corrupção.

A Secretaria de Educação vem sendo alvo de constantes denúncias de irregularidades e práticas ilícitas. Dentre elas a existência exagerada de afilhados políticos contratados. Os números são tão significativos que se todos estivem trabalhando ao mesmo tempo, mais da metade dos alunos não caberiam nas escolas.

Outro fato lembrado se reporta à instalação da tecnologia LED na iluminação pública. Empresa selecionada teria um faturamento de R$ 150 milhões pela execução do serviço. Após providencial intervenção do Ministério Público, se descobriu que a empresa considerada vencedora do certame, estaria beneficiando uma outra, com repasse dos serviços.

O mais grave e imoral é que esta empresa que seria beneficiada tinha ligação com ex-prefeito José Ronaldo, conforme denúncia feita  pelo vereador. Fato que determinou a anulação da licitação.

Resgatou também a duvidosa e recheada de suspeitas, a disputa na contratação de empresa que seria responsável pelos serviços de limpeza pública no município. A perdedora do processo de licitação ingressou com ação judicial solicitando a anulação do certame.

Além de mencionar o episódio de uma das cooperativas contratadas pelo Município, na área de saúde, em que 10 pessoas foram presas e algumas estão com bens indisponíveis, entre elas o ex-prefeito José Ronaldo.

Nery salientou que os certames licitatórios do Município estão sempre acompanhados de suspeitas, fraudes, superfaturamento, entre outras irregularidades. Exemplificando o fato através de informações desqualificadas apresentadas pelo gestor atual na tentativa de ratificar  ações suspeitas.

Como profetizou a licitação dos 77.411.980,80, afirmando que: “a Secretaria Municipal de Educação não dispõe de recursos e materiais humanos efetivos e detentores de conhecimento especializado para atuar na área que será licitada”.

A proposta do Município é a contratação de auxiliares administrativos, assistentes financeiros, auxiliares de serviços gerais e motoristas para os quadros de pessoal da Educação.

 Onde estão os mais de quatro mil contratados pelo sistema de cooperativas, serão eles fantasmas?

O sistema municipal de educação em Feira de Santana boia no fluído excretório do seu gestor. Como se diz no ditado popular, pelo fato do dinheiro ser público, sai na urina

Carlos Lima.

 

OUTRAS NOTÍCIAS