Tempo - Tutiempo.net

CARLOS LIMA: DILMA ROUSSEFF DEFENDE O POVO E A PÁTRIA E NÃO GRUPOS NABABOS

Essa campanha eleitoral de 2014 para presidente da república se iniciou sob o regime de traições. O governo de Dilma Rousseff vem sofrendo defenestrações daqueles que usufruíram das ações sociais do governo petista ao longo de 11 anos, inclusive se elegendo e reelegendo para os poderes Legislativos e Executivos, tanto no estadual como municipal.

 

A oposição de direita e parte da base de apoio, além de diferentes setores conservadores ou frações do capital monopolista-financeiro e do latifúndio, que pretendem voltar a se instalar no comando do governo federal, realizam um trabalho de desqualificação do governo de Dilma, objetivando programar projetos com os quais possam hegemonizar o domínio capitalista, freando o crescimento intelectual, social e financeiro das classes mais pobres do nosso país.

 

Na eleição desse ano a direitona, nucleada pelos partidos PSDB e DEM, encabeçada por FHC e Aécio Neves, associada a uma mídia truculenta e oportunista, fazem uso de estratégias nazistas, com a clara intensão de criar possibilidades para alcançar uma sobrevida eleitoral e chegar ao segundo turno, quando, sem dúvida, deverá utilizar-se de todos os recursos possíveis, inclusive adotando a “Solução Final”, aquela mesma que foi utilizada pelos nazistas para a exterminação dos judeus.

 

Eles falam em austeridade, arrocho e medidas impopulares, Já pensaram onde essas medidas serão mais devastadoras? Impopular vem do popular, do povo, da maioria, das classes mais pobres. É justamente nesse seguimento que essas ações serão sentidas. Eles, as classes mais abastadas, os imponentes e intocáveis capitalistas nada sofrerá.

 

O objetivo maior dessa oposição neoliberal é diminui o que eles chamam “Custo Brasil”, privatizar a Petrobrás, como fez com a empresa Vale do Rio Doce e tantas outras, intensificar a extração de mais valia, manter o mesmo caminho anterior a Lula, além de voltar a operar aquele ciclo econômico internacional vicioso e entreguista, tornando o nosso país subserviente aos interesses dos EUA e da Europa.

 

Todos nós sabemos que a crise mundial, provocada pelos EUA e que chegou ao nosso país em 2008 e manteve-se em 2009, causaram efeitos, quase devastadores, sobre a condição de vida e trabalho do nosso povo.

 

Com o início de superação em 2010 e depois com as ações do governo Dilma Rousseff a economia deu efetivos sinais de recuperação. A recuperação ganhou mais força através dos programas federais de assistência social compensatória, os aumentos do salário mínimo, a valorização do real, a expansão dos financiamentos e os gastos governamentais elevaram o consumo familiar, seguraram o mercado interno e preservaram uma parte dos empregos, além de outras ações que contribuíram para que a ‘marolinha’ não causasse estrago maior.

 

Será que devemos renunciar a tudo isso e optar pelo estilo de governo que já vivenciamos e sofremos com os seus resultados. O que será novo em um governo comandado pelo PSDB e DEM?

 

O povo brasileiro não deve se deixar enganar. Esse pode não ser o governo que queremos, mas é o melhor que já tivemos. Esse governo não se preocupa em agradar grupos nababos, ele existe para defender os interesses do nosso povo e da nossa pátria, pense nisso.   

Fonte: Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS