Tempo - Tutiempo.net

Denúncia chega aos limites da decência, moralidade política e comportamento digno de uma autoridade/Carlos Lima

Executivo perde controle ético e moral

O vereador Paulão do Caldeirão (PSC), da Tribuna da Casa na sessão desta aquinta-feira-6, disse ter descoberto que o prefeito Colbert Filho contratou uma mulher para assediá-lo em seu gabinete na Câmara Municipal.

Afirmou ainda que: “Esse prefeito bandido, diabólico, quer denegrir a minha imagem. Vou denunciá-lo no Ministério Público e na Polícia Federal. Ele teve coragem de chamar uma senhora em seu gabinete e pedir que ela colocasse o seu preço. Ele perguntou a ela quanto queria para entrar com uma pessoa na minha sala e me arranhar todo, pra sair dizendo que foi estuprada na minha sala”, afirmou.

Disse ainda que: “Moura Pinho e o prefeito estão agindo de forma covarde com este vereador. Eu tenho as gravações na mão, que eu venho segurando durante todo o tempo, nas quais consta que o prefeito tenta manchar a imagem do homem de bem que eu sou”.

Durante o pronunciamento pediu para preservar os nomes dos envolvidos, e disse que, na época, foi à casa do ex-prefeito José Ronaldo de Carvalho para contar o caso. “Ele me perguntou como Colbert teve coragem de fazer isso comigo; colocar mulheres para me arranharem e me acusarem de estupro”, declarou.

Após a denúncia do vereador o presidente da Casa, vereador Fernando Torres, convoca todos os parlamentares para discutir o assunto.

Reconhecendo que o caso é policial, declarou apoio ao vereador em questão, afirmando que a situação deveria ser analisada para se definir quais os caminhos a seguir e a sessão foi suspensa.

Atualmente existe uma degradação moral inconcebível entre o Executivo e o Legislativo feirense, que não apenas interfere moralmente no comportamento político como atinge a sociedade familiar do município e jogo por terra qualquer princípio ético.

As decisões tomadas pelo Executivo em subordinar as ações do Legislativo são ditatoriais e inaceitáveis. Por outro lado, existem acusações que não são apuradas a veracidade, como se fossem apenas produções para mercadização da desconstrução política dos próprios poderes.

Nesse momento deve prevalecer uma reflexão ética mais perofunda por parte do Legislativo.

Sua atitude é de resgate moral do poder e grande parte da sociedade vem aprovando suas ações, mas não deve perder-se diante de acusações que não pode provar, ou simplesmente esquecer a denúncia feita.

Se forem falsas punir o seu autor na forma da lei.

Assim, o importante não é simplesmente acusar, denunciar, mas provar o que foi afirmado.

O Legislativo feirense precisa dispor de uma “essência moral e ética”, em suas ações, assumindo as consequências das decisões tomadas. E que sejam benéficas para a maioria da sociedade.

Estará cumprindo fielmente com o seu dever.

A Câmara Municipal, através dos seus vereadores, deve deixar de forma inquestionável ser um Poder Independente, sua prerrogativa de fiscalizar as ações do Poder Executivo é inegociável.

Assumindo esse comportamento político, legal, com certeza veremos mais vereadores em condições de se tornarem futuros prefeitos em Feira de Santana, por despertar mais confiança, respeito político e administrativo.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS