Diga ao prefeito reeleito que você não pode ser aquilo que ninguém vê/por Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Ronaldo comandou vitória de Colbert

As campanhas eleitorais nos ensinam a perceber e conhecer os valores pessoais da maioria dos políticos.

Em Feira de Santana nas eleições municipais deste ano, foi possível enxergar a profundidade do caráter, do jogo sujo, subserviência e comportamento pulha, quando se trata de conquistar o poder.

Falso poder por ser dividido, manipulado pelo seu líder, o ex-prefeito José Ronaldo.

O qual deixa seu pupilo nas mesmas condições de liderado, mantendo nos bastidores um poder de cogestão indelével.

A não ser que o pupilo se rebele. O resultado desse ato não lhe será favorável. O exemplo tem nome. Tarcísio Pimenta.

Primeiro exemplo.

José Ronaldo já anunciou que o seu candidato ao governo do Estado, em 2022, será ACM Neto, do seu partido DEM.

Seu pupilo é do MDB. Se essa sigla partidária resolver  um candidato, qual será sua posição?

O indicativo de uma gestão dividida já se faz presente.

O vereador Lulinha (DEM), fiel escudeiro de José Ronaldo  não conseguiu se reeleger, ficando na primeira suplência.

 Ronaldo já determinou que assegurado a Lulinha o seu retorno à Câmara Municipal. O pupilo disse: Sim Senhor!

O fato será concretizado depois do dia primeiro de janeiro de 2021.

O tabuleiro para essa primeira investida de manipulação está construído: a vereadora Gerusa Sampaio será nomeada secretária de Desenvolvimento Social, o secretário atual Pablo relocado para a Secretaria de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos, e a vaga no Legislativo estará aberta para o retorno do seu Cão de Guarda.

Tudo continuará como: Dantes no quartel de Abrantes.

 Já o comando administrativo na Câmara não sofrerá mudanças pontuais, o presidente atual tem 80% de possibilidades de ser reconduzido nas eleições de 1 de janeiro.

Ele é do grupo de José Ronaldo, que não deseja perder a presidência da Casa e já confirmou que retornará a um cargo eletivo.

Nada mudou nem vai mudar. Os mesmos continuam fatiando o poder na proporcionalidade da capilaridade eleitoral e na subserviência de cada um. José Ronaldo define as porções fatiadas.

Não é uma questão de dúvidas, é simplesmente aguardar de que forma, quem, quantos e onde.

Não se pode menosprezar a façanha política de reeleger um candidato à prefeitura de Feira de Santana, sendo ele  possuidor do maior índice de rejeição, conseguindo reverter uma derrota no primeiro turno.

Embora atos e atitudes tenham ferido a legislação eleitoral e a justiça possua procedimento letárgico, quando resolve agir.

No entanto fica um rastro de esperança, o crescimento dos descontentes provocou uma avalanche de votos. Confirmaram, estamos aqui e vamos continuar.

As eleições também nos mostraram as diferenças e as mesmices… Embora num panorama diferente de todos que já vivemos.

Avançamos. Não o suficiente para iniciarmos as mudanças que são necessárias e vitais para o desenvolvimento social e econômico do nosso povo.

Lamentamos que as desigualdades e a garantia de direitos continuem, após vinte anos, se arrastando sem soluções.

Ficou a certeza e o exemplo de que o valor e caráter de um político estão muito além dos seus discursos, da roupa que ele veste, das promessas que faz.

Citando o poeta Fernando Pessoa, podemos dizer: “é preciso não buscar na aparência aquilo que só uma alma nobre pode oferecer”.

Essa nobreza não existe no prefeito reeleito.

Meu caríssimo eleitor, nunca esqueça de que a reputação pode ser construída em um momento e o caráter é edificado em uma vida inteira. Aprenda lapidar os seus erros. Todos nós temos direitos a vida, educação, moradia,  saúde e uma distribuição de renda mais humana.

Você não poder ser aquilo que ninguém vê, a não ser nos períodos eleitorais, portanto faça o que tiver que fazer.

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS