Empresa subestima e menospreza

O presidente da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Abelardo de Oliveira Filho, visita na manhã desta segunda-feira (22) as obras da empresa em execução em Feira de Santana.

Antes, ele recebe a imprensa para um encontro na Los Pampas Churrascaria, onde vai apresentar um quadro dos investimentos do órgão no município e região.


– “Pergunta-se: Por que o encontro acontece numa churrascaria?” ‘Será porque consideram que a imprensa feirense precisa de comida e com isso não questiona as informações do anfitrião.’

 

Desde 2007 a Embasa vem fazendo investimentos em Feira de Santana, que já chegam a mais de R$ 280 milhões, sendo R$ 115,9 milhões em abastecimento de água e R$ 164,2 milhões em esgotamento sanitário.

 
– “Por que constantemente faltando água na maioria dos bairros da cidade e em toda a zona rural?” ‘Na zona rural teve localidade que faltou água por mais de 30 dias.’


– “Por que a maior parte da tubulação do esgotamento sanitário vive entupida e as “bocas de lobo” expulsando os dejetos para correm a céu aberto no meio das Ruas?”


– “Por que as Ruas da cidade foram destruídas na sua pavimentação e não foram devidamente recuperadas pela Embasa ou por empresas por ela contratadas?”

Atualmente, estão em andamento quatro importantes obras – a implantação do Centro de Reservação Norte, a ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Ipuaçu, a instalação de hidrantes e a segunda etapa da implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário das bacias Jacuípe e Subaé.


– “Há quanto tempo essa informação vem sendo passada e a quanto tempo a própria Embasa sabia dessa necessidade e nenhuma providência foi tomada nos últimos quase seis anos?” ‘Seria falta de recursos, falta de decisão política, descaso para com as necessidades do povo ou incompetência mesmo?’.

Segundo o presidente da Embasa, o objetivo da visita é apresentar um balanço das ações da empresa, especialmente no momento em que a Bahia enfrenta a mais severa estiagem dos últimos 50 anos.

 
– “Quais os problemas com a água de Pedra do Cavalo?” ‘Cada município apresenta problemas conforme suas características climáticas e reginais, as ações devem ser realizadas por grupos ou individuais, conforme a siatuação que se apresenta.’

Em 2007 o número de ligações de água em Feira evoluiu de 119.025 para 155.369 e ampliamos para 65% o índice de cobertura com coleta, tratamento e destinação do esgoto doméstico. Estamos avançando, dentro da perspectiva do Programa Água para Todos, para universalizar o atendimento com abastecimento de água e coleta de esgoto no município.

– “Por que o volume disponibilizado pelo conjunto de sistemas operados chegou a 677 bilhões de litros de água, dos quais foram consumidos 395 bilhões, o que representa uma perda de 41,7 %, o que equivale dizer que, de 10 litros produzidos, 4 são desperdiçados?”


– “Por que a Embasa cobrou mais de 180 bilhões de litros de água que forneceu?” ‘Relatórios publicados dizem que o volume faturado de 475 bilhões de litros em relação ao efetivamente consumido nas ligações prediais, exceto as indústrias, de 395 bilhões, demonstrando que faturou em cima de 180 bilhões de litros que não foram entregues.’ – É verdade?


– “Por que essa prestação de contas – se assim a diretoria entende – deve acontecer numa churrascaria?” 

 – Se a coisa fosse séria e respeitosa para com os profissionais de imprensa de Feira de Santana, deveria acontecer num auditório climatizado, e após o encontro poderia ser servido um “coffee break”, ou melhor, um café. 


Fonte: Agecom/Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS