Tempo - Tutiempo.net

Estilhaço de projétil calibre 38 atinge guarda municipal que não é socorrida

Estilhaço no queixo da guarda municipal

O descaso do prefeito de Feira de Santana com os 50 guardas municipais que estão participando de curso de formação, com aulas práticas de tiro, revolveres calibre 38, é algo estarrecedor.

Fato ocorrido no último dia 30 de abril, e só agora confirmado e divulgado, amplamente, comprova a deficiência na qualidade do curso e também dos seus instrutores.

A economia de “fio dental pode provocar a perca dos dentes”.

Durante a instrução da capacitação para o manuseio e tiro com revólver calibre 38, a guarda municipal Thaysy foi atingida no rosto por estilhaços de projétil que ricocheteou, onde, ninguém sabe.

Nunca se ouviu falar que um estande de tiro e treinamentos ‘iniciais’ para o manuseio e disparo de arma de fogo, exista condições para este tipo de incidente.

Os estilhaços atingiram a parte inferior do rosto de Thaysy, segundo informações médicas, causou fissura óssea.

No momento do ferimento a jovem que estava de máscara sentiu o sangue correr. Os instrutores orientaram a lavar o local e colocar gelo, dizendo que era apenas um arranhão.

O sangramento não parou, passou a sentir dor de cabeça e mesmo assim ainda foi chamada para continuar os treinamentos. Ela recusou e disse que não se sentis bem.

Após o término da aula a guarda municipal foi liberada. Chegando em casa o local do ferimento estava bastante inchado e provocando dores. Ela resolveu  ir ao hospital, inicialmente atendida em UPA Estadual, foi imediatamente transferida para o HGCA.

O médico examinou o local, constatou a presença de estilhaços do projétil no queixo e fez a remoção. O impacto causou fissuras no maxilar inferior, sem maiores gravidades.

O médico cirurgião do HGCA, demonstrou preocupação em virtude da guarda municipal não ter sido encaminhada logo após sofrer o ferimento e comentou:  “Ferimento a projétil tem que debridar, radiografar, tomar anti-tetànica, Medicar. Não é coisa boba, precisa de cuidado imediato”.

O ferimento da Guarda municipal Thaysy poderia ter provocado consequências mais graves.

O fato revela que a administração municipal não se preocupada com a segurança dos servidores e para economizar, ou quem sabe o que mais, contratam empresas ou pessoas  bem distante do profissionalismo desejado e capacitado.

Redação cljornal.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS