Feira VI sempre abandonado só é lembrado para gerar multas

No dia 20 de setembro de 1983 a antiga Urbis entregava as chaves do Conjunto Habitacional Deputado Áureo de Oliveira Filho aos seus proprietários, o que significa dizer, há trinta anos e quatro meses atrás.

O tempo foi passando e o conjunto foi transformado no popular Feira VI sem nunca ter tido, nesse longo período, assistência de nenhum dos governantes da cidade, o que pode ser visto pela pavimentação das ruas e dos caminhos, todos esburacados, sendo a única exceção à regra, o recolhimento do lixo às segundas, quartas e sextas.

Agora, a prefeitura resolve sinalizar todo o Conjunto, modificando completamente os hábitos dos moradores locais e, em particular, dos proprietários de veículos, colocando, até mesmo, tonéis na entrada da Rua “A”, a principal rua do Conjunto porquanto os moradores não estavam aceitando a imposição desnecessária pelo tamanho do Conjunto e implicando em multas para aumentar o caixa do município.

Quando há, por parte do poder público, uma relação constante com um determinado local, seja um bairro de pequeno, médio ou grande porte as ações dos gestores devem ser levadas em consideração.

Entretanto, para muitas pessoas a indagação é constante: por que tanta sinalização no Feira VI enquanto outras necessidades são deixadas de lado?

Mister se faz que os olhares do governo municipal voltem-se para uma melhoria da pavimentação do Conjunto, que ainda não foi desmembrado do bairro Campo Limpo e, portanto, não é um bairro, como muitos pensam ser. 

Fonte: Cezar Oliveira

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS