Tempo - Tutiempo.net

Marialvo: pensa de forma classista e se posiciona antipetista/por Carlos Lima

Deputado Zé Neto e o ex-vereador Marialvo Barreto

O ex-vereador Marialvo Barreto (PT) disse: “no 1° dia do ano quero lembrar aos Professores da rede municipal e ao funcionalismo de Feira de Santana, muito cuidado com o seu voto para prefeito, para não amargarem 4 anos sem reajuste salarial. Exemplos não faltam. Não caiam em conversa mole, exijam compromissos”.

O entendimento da maioria sobre essa declaração é que ele pede aos professores que não votem no pré-candidato do governo do estado em Feira de Santana, sobre pena de ficarem quatro anos sem aumento salarial.

Só para lembrar, o pré-candidato a prefeito de Feira de Santana, deputado federal Zé Neto e o próprio Marialvo Barreto, são do mesmo partido do governador.

Não é brincadeira. Esta é uma das causas da derrocada nacional do PT.

Partido político é a junção de ideias que sedimenta a construção de um projeto político através de um programa de governo seguindo um rasgo ideológico ou não.

O sindicato representa e defende os interesses de uma categoria de trabalhadores que, muita vezes se chocam com os interesses da coletividade, dadas às perspectivas e finalidades das suas mobilizações. Principalmente com os interesses governamentais, independente de quem exerça o poder.

O sindicato jamais aceitará pacificamente as decisões do poder político se elas lhes trouxerem perdas de benefícios em quaisquer circunstâncias.

O exemplo está na posição adotada pelo professor e sindicalista Marialvo Barreto. Mesmo pertencendo a um partido político se insurge contra ele por não atender as reivindicações do seu sindicato, que exige melhorias salariais para seus filiados.

Defesa ‘de parte’ e ‘desprezo pelo todo’.

A administração política partidária jamais conseguirá a satisfação “do todo”, pela sua fragmentação diante dos interesses que não puderam ser atendidos,  “de partes”.

Toda e qualquer ação política científica depende de consciência educada, renúncia individual em benefício coletivo, presença de pragmatismo e definição ideológica.

Raramente encontramos essas qualidades nos partidos políticos existentes em nosso país.

É mais um circo de círculos de interesses grupais, que fazem o papel de esponja sobre a água, se fortalece sugando o que não lhes pertence.

Infelizmente são visíveis e facilmente identificáveis as razões pelas quais não apalpamos a confiabilidade e credibilidade necessária para avanços mais significativos do partido em questão.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS