Tempo - Tutiempo.net

O governo de Colbert Filho é construído de farsas/ Carlos Lima

O governo da farsa

Depois de algumas décadas querendo ser prefeito de Feira de Santana, mesmo herdando o nome de um dos grandes líderes políticos da região, Colbert Martins da Silva, nada conseguiu.

Era e continua sendo antipatizado pela maioria dos feirenses. Todos já identificaram a farsa da simpatia e da defesa da população mais sofrida do município, onde se dedica ao uso de uma capa protetora contra o povo pobre e humilde.

Todas as ações e decisões do seu governo têm o firme propósito de favorecer as classes mais ricas e dominante da cidade

O Projeto Centro é a prova concreta. Só os grandes empresários foram beneficiados, os comerciantes informais, desde o vendedor de verduras aos camelôs, foram banidos das ruas e jogados num Shopping Popular, também conhecido como Cidades das Compras, embora o nome mais adequado seja Cidade Fantasma.

Um empreendimento PPP, que criou benefícios apenas para a participação privada. Penalizando os diminutos comerciantes informais que atuavam no centro comercial da cidade.

Para alcançar a prefeitura “negou politicamente o próprio pai”, abandonou a posição de herdeiro da liderança oposicionista em Feira de Santana para ser liderado pelo adversário político do seu genitor. Foi um ato de subserviência e afirmação pessoal para chegar ao paço municipal.

Sem essa desmoralização pública, a condição era sine qua non para   chegar à prefeitura de Feira de Santana

Ao assumir disse que iria colocar sua cara no governo. Falso. Seguiu sob a batuta do ex-prefeito José Ronaldo, e na eleição só obteve êxito devido o apoio e o nome do seu mais novo líder.

Manteve todas as ações do ex-prefeito, dizendo serem suas, falso. Todo o projeto de governo e obras a serem realizadas já estavam com projetos prontos ou em andamento.

Alguns deles existiam desde o primeiro mandato de José Ronaldo.

A população dos municípios vizinhos que utilizam o transporte de Vans para se deslocarem até Feira de Santana onde trabalham ou querem fazer compras, foram definitivamente transformadas em gado, pé duro. Ou melhor, de corte. Modificaram o ponto final, distante do centro e totalmente desprovido de infraestrutura. Não possuí nem curral, é no tempo mesmo. Para se deslocarem até o centro terão que utilizar uma linha de ônibus denominada de “Novo Expresso”, pagando R$0,50 centavos a passagem. Até o próximo aumento da tarifa.

Essa foi a solução encontrada para o prefeito ajudar os empresários do BRT, que estavam circulando com ônibus vazios.

Dizem que o Sistema de Saúde funciona maravilhosamente bem, falso. Que diga o advogado Júlio Vaccarezza. Precisou fazer um curativo e nas unidades de saúde que se dirigiu, a resposta foi: a mais de um mês está faltando material para fazer curativos.

Uma enfermeira chegou a se prontificar, se ele comprasse o material ela fazia o curativo.

Pois é. Esse governo incompetente está alicerçado política e discursivamente à base de farsas, subalterno aos interesses, grotesco, do seu gestor.

Lembro-me que no governo do presidente Temer, seu líder de momento, assumiu a Secretaria de Turismo do mesmo Ministério e foi preso com dinheiro na pasta, em São Paulo e não conseguiu explicar a origem, é o que está registrado e amplamente denunciado na imprensa, também pelo ex-deputado Targino Machado. Conforme a Operação Voucher.

Outro mentor de sua carreira política na Bahia, Geddel Vieira Lima foi preso após ser encontrado 50 milhões de reais, em malas, caixas de papelão no apartamento alugado por ele para guardar bugigangas.

Como prefeito de Feira de Santana não permitiu que a Câmara Municipal criasse a CPI  do roubo de 100 milhões da Saúde do município, Planejado e executado por uma Cooperativa, conforme constatado pela operação Pityocampa.

As recentes turbulências com o Poder Legislativo de Feira de Santana confirma sua veia fascista na tentativa de neutralizar a independência do poder. mantendo os vereadores encabrestados.

Não deu certo e perdeu a maioria no Legislativo municipal. 11 ou dez vereadores se rebelaram, assumiram a condição de fiscalizadores das ações do executivo, passaram a ser perseguidos, difamados, chantageados, conforme os comentários que circulam na cidade.

Na realidade, o atual modelo de governo, criou um clamor popular pela sua superação e até mesmo a possibilidade de impeachment.

O desastre em Feira de Santana é tão grande que o líder político e responsável pela ascensão de Colbeert Filho, se arrependeu em apoiá-lo nas eleições de 2021, são os comentários de fontes próximas de JR.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS