O sangue é ruim e a perseguição é verdadeira/por Carlos Lima

Hoje pela manhã (segunda-feira – 29) depois de esperar mais de duas horas na fila de vacinação contra o Covid-19, (das 9 às 11hs) com apenas três pessoas na minha frente, na Unidade de Saúde do Panorama, Rua São Salvador, antes do Parque da Cidade, constatei a falta de organização desse processo na Unidade.

Preocupado com a demora e vendo pessoas chegarem e serem atendidas me dirigi ao atendente, “ou quebra galho”, pois tinha chegado bem atrasado e não portava identificação. Indaguei sobre não ter sido chamado, mesmo sendo um dos primeiros a chegar.

Ele foi procurar saber e quando voltou disse que meu nome estava em outro estado, no Maranhão.

Estavam de posse de minha identidade, com CPF e cartão de vacinação, e mesmo assim eu estava residindo no Maranhão e não podia ser vacinado.

Considerando o fato um absurdo, porque não me informaram do problema, se não tenho a iniciativa de perguntar poderia está até agora esperando ser chamado.

Como o meu nome, identidade, CPF foram parar no cadastro do Estado do Maranhão?

Tenho cartão do SUS de Feira de Santana, embora não utilize os serviços de assistência ao diabético, sou cadastrado desde o primeiro governo de José Ronaldo.

Muito estranho, logo na Unidade de Saúde onde devo ser vacinado, o meu nome consta no cadastro de outro Estado.

Isso faz relembrar minha saída da Rádio Povo, exigida pelo executivo e alguns vereadores. E outras perseguições.

Será que está criando oportunidades para o Covid-19 me matar, uma vez que não têm coragem de fazer.

Nada me intimida, continuarei escrevendo verdades e denunciando tudo o que for ilegal na administração pública.

Nesse momento quero parabenizar e enaltecer uma servidora estatutária com mais de 18 anos de serviço público, que recusou  nomeação para ganhar o dobro, por não aceitar se submeter as condições que foram propostas.

Para o grande público a notícia pode ser vaga, e é. Entretanto, para quem ia fazer a nomeação sabe muito bem do que estou falando.

Nesse momento faço um apelo ao secretário de Saúde do Estado da Bahia para ver as possibilidades de ser vacinado, aqui no município de Feira de Santana estou sendo descartado pelo gestor. Ele me transferiu para o Maranhão.

Este episódio demonstra a desorganização, ou falta de um plano municipal de vacinação, a ineficiência da logística adotada pelo prefeito Colbert é visível. Tudo indica que ele se aconselhou com o General Pazuello.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS