Opositor ao BRT diz que água do lençol freático deve ser usada para consumo humano

A água, depois de estudos realizados está contaminada com coliformes fecais

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
RETIRADA DE ÁGUA DURANTE A CONSTRUÇÃO DA TRINCHEIRA

A água que sai do lençol freático no cruzamento das avenidas Presidente Dutra e João  Durval, onde a Prefeitura de Feira de Santana está construindo um túnel para desafogar o trânsito, não é apropriada para o consumo humano.

O esclarecimento está sendo feito pelo prefeito José Ronaldo.

Nos últimos dias, críticos das obras de mobilidade urbana realizadas na cidade reclamaram em redes sociais que o Município estaria desperdiçando água, em vez de distribui-la em um caminhão na zona rural.

O prefeito observa que, ao contrário do que tem pregado essas pessoas, não é possível, absolutamente, o aproveitamento para consumo humano da água que sai da região onde está sendo realizada a obra.

“Fiquei perplexo com o nível da crítica que está sendo feita.

Não havendo o que se observar, tecnicamente, algumas pessoas, que não tem conhecimento do assunto, tentam confundir a opinião pública.

Essa água jamais poderia ser utilizada para matar a sede das pessoas na zona rural.

É uma água com coliformes fecais. Como poderíamos coloca-la num caminhão e distribui-la para consumo humano?”.

Ratificando o que diz o prefeito, o secretário de Planejamento do Município, Carlos Brito, explica que água de lençol possui “alto índice de coliformes fecais”, não sendo recomendada para o consumo das pessoas.

Ele também esclarece que não existe desperdício, “diferentemente do que tentam difundir”.

Conforme o secretário, que acompanha de perto a execução do projeto, a água que aflora do lençol freático, durante a obra, tem como destino a drenagem pluvial e dali a bacia do Jacuípe.

Depois, é captada pela barragem de Pedra do Cavalo, tratada pela Embasa e se torna potável, retornando para Feira, aí sim, apropriada para o consumo nas residências.

Brito tranquiliza os feirenses quanto aos boatos:

“Todos podem estar tranquilos em relação a questão ambiental desta obra. Ela está sendo realizada sob rigorosos cuidados para não agredir o lençol freático. Uma intervenção profunda como essa não tem como não apresentar algum grau de transtorno, de desconforto, mas tudo dentro de parâmetros normais”.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS