Tempo - Tutiempo.net

Presidente da Associação Comercial de Feira de Santana faz declaração desastrosa/por Carlos Lima

Presidente da Associação Comercial de Feira de Santana

A declaração do presidente da Associação Comercial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino, sobre a decisão do governador Rui Costa em ampliar o lockdown até às 5 horas de quarta-feira (3) foi surreal.

“Fechar o  comércio é uma decisão desastrosa.”

Podemos até entender se considerarmos a visão capitalista/imediatista de gerar lucros a cima de qualquer interesse humanitário.

A posição mercantilista de exploração da classe trabalhadora se avoluma nesses momentos onde a condição de sobrevivência se fragiliza diante dos interesses do capital e da contínua exploração da força de trabalho.

Relatórios técnicos/epidemiológicos de inúmeros órgãos internacionais confirmam que a eficácia do isolamento na redução de infecções sugere que o lockdown abre caminho para uma recuperação econômica mais rápida se for possível conter a epidemia.

Mitigar os riscos à saúde parece ser uma pré-condição para ter uma economia forte e sustentável, informou a OMS, o FMI  e outros órgãos em seus relatórios.

Em Feira de Santana o início da pandemia foi ‘ameno’ em virtude das ações adotadas pelo governo do estado, principalmente quando suspendeu o transporte intermunicipal e enrijeceu a fiscalização no interestadual.

Por ser um dos maiores entroncamento rodoviário do país, o município possui a condição de se tornar um forte vetor de transmissão do vírus.

O rígido controle dos transportes conseguiu impedir uma disseminação mortal da pandemia em toda micro e macrorregião.

Já o presidente da Associação Comercial de Feira de Santana  demonstrou desconhecer que os países que adotaram isolamento social rigoroso e de curto prazo estão sofrendo menos os efeitos da crise econômica global.

Quem afirma, em relatório conclusivo, é o “World Economic Outlook”, divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

O estudo apontou que o lockdown e o distanciamento social  reduziram a movimentação de pessoas nos primeiros três meses de pandemia em cada país e destacou a necessidade de investimento dos governos em ações com testagem em massa e cuidados com os mais vulneráveis, além de acelerar  pesquisas e estudos sobre a fabricação de vacinas.

Feira de Santana parece seguir, com viseira, o que prega o presidente Jair Bolsonaro. Comércio aberto, não usar máscara, vacina transforma seres humanos em jacaré. Ele não é coveiro.

Só está faltando o empresariado dizer que transformarão seus comércios em funerária e fábrica de caixão, o que importa é o lucro, se para ganhar dinheiro o trabalhador tiver que morrer que morra.

O presidente da Associação Comercial declarou que vai solicitar estudo de dados da própria Secretaria de Saúde do Estado  provando que o lockdown não é a solução para reduzir a contaminação. Deve está delirando, está com a febre do dinheiro.

Tenho uma solução melhor, a Associação Comercial  reúna a classe empresarial e industrial de Feira de Santana, compre vacina, faça doação a prefeitura para que o povo feirense seja vacinado com a maior brevidade possível.

No entanto o dinheiro não pode deixar de afagar suas mentes corrompidas pela desumanidade e falta de respeito para com a vida daqueles que são explorados por eles.

Um passo para trás com certeza vai impulsionar dois passos para frente.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS