Primeiro choque nas decisões entre o Legislativo e Executivo feirense/por Carlos Lima

José Carneiro, Fernando Torres e Colbeert Filho

Na tarde de terça-feira (2) enquanto o prefeito Colbert Filho se preparava para avaliar o decreto do governador Rui Costa de prorrogar o lockdown até o dia 8 em vários municípios da Bahia, incluindo Feira de Santana, a mesa diretiva do Legislativo se reuniu de forma emergência e confirmou apoio a medida governamental.

Mesmo sendo empresário o presidente da Câmara Municipal, vereador Fernando Torres afirmou: “todos nós, que dirigimos a Casa da Cidadania, chegamos ao entendimento que este é um momento de marchar juntos com os governantes, acompanhando as suas decisões no sentido de prevenir a população do nosso município e do estado contra a transmissão deste vírus”.

Pouco tempo depois o prefeito do município, como já era esperado, por não resistir à pressão de parte do setor empresarial da cidade, autorizou a reabertura do comércio a partir dessa  quarta-feira (3), em seu horário normal, até a próxima sexta-feira (5).

Como medida paliativa e tentando mascarar sua subordinação a parte desse setor comercial do município, afirmou com voz forte que o lockdown volta acontecer na noite de sexta-feira, de forma total e vai até às 5 horas de segunda–feira (8), sendo permitido apenas abertura dos estabelecimentos que vendam itens essenciais como alimentos e remédios.

A posição adotada pelo vereador e presidente do Legislativo feirense, Fernando Torres, sem dúvida tenta demonstrar uma independência política do poder Executivo e demonstra que as ações da Casa do Povo, inicia uma mudança qualitativa na prática Legislativa.

Até quando resistirá é uma incógnita.

Entretanto é do conhecimento público que Torres, além ser um forte empresário no município, possui uma reserva de “liderança política” entre vários vereadores que seria verdadeiro suicídio político e moral querer enfrentá-lo.

Poucos se salvam, mas não seriam suficientes para reverter suas decisões.

Antes mesmo de ser eleito Torres já afirmava que seria o próximo presidente da ‘Casa do Povo’ e assim aconteceu. Bancou o “Capitão do Mato” de Ronaldo e Colbert, vereador José Carneiro, que não pode resistir às investidas de Torres e foi forçado retirar sua candidatura a presidente. Fernando Torres foi candidato único. Sabe de quem venceu?

Os horizontes políticos estão claros e abertos para ele. Precisa apender e/a navegar em todas as águas. Só depende dele.

Se conseguir manter uma independência respeitável, pensar três vezes antes de se posicionar publicamente, reconstruir a imagem e não se deixar levar pelos rompantes de todo poderoso e valentão, tem grandes possibilidades de chegar onde almeja, à prefeitura. Não será fácil, mas não impossível.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS