Tempo - Tutiempo.net

Violência doméstica já levou 115 mulheres a buscarem ajuda do CRMQ

A violência doméstica já levou 115 mulheres a buscarem ajuda do Centro de Referência da Mulher Maria Quitéria (CRMQ), em Feira de Santana. As vítimas que decidem romper o silêncio são atendidas por psicólogos, advogados, assistentes sociais e pedagogas da Secretaria de Desenvolvimento Social.

 

No equipamento, os profissionais trabalham a elevação da autoestima das mulheres e a superação dos traumas. As vítimas também são encaminhadas a cursos profissionalizantes visando à conquista da autonomia financeira.

 

Conforme a coordenadora do Centro de Referência, Maria Luiza Coelho, as mulheres violentadas podem procurar os serviços do órgão de forma espontânea, embora muitas delas sejam encaminhadas por unidades dos CRAS e CREAS, Delegacia da Mulher, Defensoria Pública e Vara da Família.

 

Ele explica que o atendimento é voltado para mulheres violentadas independente de quem seja o acusado – esposo, pais, tios, outros membros da família e até companheiras do mesmo sexo. “A violência atinge qualquer mulher, independente das condições financeiras, religião, orientação sexual, cor ou idade, mas se concentra principalmente entre mulheres com idade entre 18 a 40 anos”, esclarece.

A violência doméstica é classificada em física, sexual, moral, psicológica e patrimonial. “A mulher já está apta a romper com este ciclo de violência quando ela sai do ambiente agressor”, explica a coordenadora, ressaltando a importância da parceria com a Casa do Trabalhador para encaminhamento ao mercado de trabalho. O CRMQ está localizado na rua Paris, 97, bairro Santa Mônica.

 

 

Fonte: Redação, com informações da Secom

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS