Tempo - Tutiempo.net

A TURMA DO ‘FORA DILMA’ AGORA COMBATEM IMPOSTO SOBRE OS MILIONÁRIOS

A matéria do Estadão sobre os “Grupos anti-Dilma vão ao Congresso exigir a ‘rejeição’ à taxação de grandes fortunas”.

Não tanto porque esta turma é contrária a qualquer ideia de justiça social e acha Miami o centro do cultura humana.

Mas porque ela revela que, além de Rogério Chequer, outro líder do movimento é Colin Butterfield, executivo do grupo Cosan, sócio brasileiro da Shell.

A decisão de colocar a rejeição à taxação dos bilionários – tema que a gente mostrou ontem aqui que é “proibido” – está causando rebuliço com alguns dos poucos grupos que não querem ser revelados como defensores dos bilionários.

Veja o que “enfiaram” no documento do sonhado impeachment:

“­ Um dia depois da marcha organizada pelo Movimento Brasil Livre em defesa do impeachment da presidente Dilma Rousseff chegar ao Congresso Nacional será a vez dos grupos oposicionistas que compõem a Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos se reunirem “…), com políticos de oposição.”

“Eles exigirão, entre outras coisas, a rejeição à taxação de grandes fortunas e impostos sobre heranças, pautas que não constavam entre as reivindicações dos grupos que foram às ruas em abril e maio nos protestos…”

E quem é o articulador do “no meu não, pobretão”?

Segundo fica claro na declaração de um dos que se recusaram ao “contrabando” no texto, é Colin Butterfield.

“Colin (Butterfield, um dos líderes do Vem Pra Rua) me ligou e pediu para eu participar, mas resolvi ficar longe de tudo.”

“Estou sabendo por você que eles têm essa proposta de pedir a rejeição da taxação a grandes fortunas”, disse o líder do Quero Me Defender, Cláudio Camargo.

E quem vem a ser este brasileiro de nome inglês?

Diretor da Cosan Alimentos, empresa do grupo de usineiros que controla a venda de açúcar.

Um doce, não é?

Depois de Chequer, ex-especulador de fundos nos Estados Unidos, um diretor da sócia da Shell…

Vejam a história de Butterfield, narrada pela insuspeitíssma Veja, onde sublinho:

Colin Butterfield

Colin Butterfield, um dos organizadores (Cosan/Divulgação)

Um grupo de empresários se organiza nas redes sociais para realizar passeatas em favor do candidato tucano Aécio Neves, no próximo dia 16, na capital paulista, em Belo Horizonte e em Brasília.

O movimento, intitulado ‘Vem pra rua’, numa clara alusão às manifestações de junho de 2013, convoca os indignados com o atual governo a protestar em favor de melhorias nos serviços públicos e contra a corrupção.

Encabeçado pelo executivo Colin Butterfield, o grupo decidiu apoiar o tucano por acreditar que ele “é o candidato da mudança”.

As passeatas estão sendo organizadas por meio das redes sociais e contam com apoio de grupos de alunos do Insper, em São Paulo.

A iniciativa começou apartidária no início de setembro com o nome de ‘Basta’. Os organizadores convocaram os indignados para a passeata, que não conseguiu reunir uma centena de adeptos na avenida Paulista.

“Queríamos que rivalizasse e resultasse numa manifestação clamando por um país mais ético, mais correto e com mais respeito ao cidadão. Mas não deu certo”, afirma Butterfield.

Em sua reedição, os empresários convocaram outros grupos de indignados nas redes sociais e renomearam o movimento. Decidiram associá-lo à imagem de Aécio, mas afirmam não ter qualquer ligação com o PSDB.

“É um movimento claramente de oposição, e o Aécio, hoje, personifica esse sentimento. Mas não tem nada a ver com o partido, tanto que entre os organizadores e apoiadores, há aqueles que apoiavam a Marina”, afirma o empresário.

É mesmo o “Go to Street”…

Fonte: Fernando Brito

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS