Tempo - Tutiempo.net

Ainda sem oficializar chapa, Alckmin diz que “Lula representa a democracia”

Geraldo Alckmin

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin se filiou ao PSB nesta semana. Durante a cerimônia, em Brasília, que reuniu as principais lideranças do Partido Socialista Brasileiro, Alckmin afirmou: “Lula representa a democracia”.

Ele, contudo, ainda não crava sua posição de vice na chapa ao lado do ex-presidente, nas eleições presidenciais deste ano.

Em seu discurso, o ex-governador fez uma série de referências históricas e finalizou citando seu padrinho político, Mario Covas, sobre o diálogo entre distintas correntes partidárias e ideológicas do país, ao pregar pela união.

Este é um dos destaques desta semana no Tempero da Notícia, programa produzido pelo Brasil de Fato, com apresentação do jornalista Rodrigo Vianna, que também faz um balanço sobre os números das eleições divulgados na pesquisa Datafolha, as movimentações políticas em São Paulo com a saída de Guilherme Boulos da corrida eleitoral pelo Palácio dos Bandeirantes.

Eleições

A pesquisa divulgada nesta sexta-feira (25) pelo Datafolha mantém o cenário eleitoral com Lula (PT) em primeiro, com 43% dos votos, seguido por Bolsonaro (PL), com 26%.

Na pesquisa espontânea, em que as pessoas citam sua intenção de voto, o Presidente da República subiu cinco pontos, saltando de 18% para 23%. Os nomes da “terceira via”, Sergio Moro (Podemos), com 8% e Ciro Gomes (PDT), com 6%, seguem estacionados no cenário eleitoral.

Encontro com MST

No último domingo, o ex-presidente Lula visitou o assentamento do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), Eli Vive, no Paraná. No encontro com militantes Sem Terra e personalidades da política e das artes, o petista fez duras críticas ao Congresso Nacional.

Ao justificar a importância de eleger deputados e senadores comprometidos com a causa social, Lula afirmou que o “Congresso nunca esteve tão antipovo, tão submisso aos interesses antinacionais. É talvez o pior Congresso que já tivemos na história do Brasil”.

Ciro Nogueira (Progressistas-PI), ministro chefe da Casa Civil e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, não aprovaram a declaração de Lula.

Em nota, Pacheco disse que a “declaração é deformada, ofensiva e sem fundamento, fruto do início da disputa eleitoral que faz com que seja ‘interessante’ falar mal do Parlamento”.

Panela de Pressão

Quem vai para a Panela desta semana é o ministro da Educação, Milton Ribeiro. Um áudio obtido pelo jornal Folha de São Paulo revela uma fala do ministro afirmando que pastores intermediam verbas do MEC para munícipios brasileiros. Gilmar Santos e Arilton Moura são os citados, responsáveis por negociar com prefeitos quem deveria ou não receber os valores. Em entrevista, Ribeiro disse que quem pediu a presença dos pastores na negociação foi o próprio presidente Bolsonaro.

Guerra da Ucrânia

A Sobremesa desta semana é o documentário “Ucrânia em Chamas” do diretor estadunidense Oliver Stone. O filme faz um recorrido pela história ucraniana, o surgimento de grupos neonazistas no país e como os Estados Unidos influenciaram os movimentos políticos da última década, que culminaram no conflito que ucranianos enfrentam agora contra a Rússia.

O filme de Stone pode ser encontrado no Youtube, sob o aviso de conteúdo sensível para alguns públicos.

Onde assistir

O programa vai ao ar todas as sextas-feiras, às 20h, no canal do Brasil de Fato YouTube e na TVT, canal 44.1 – sinal digital HD aberto na Grande São Paulo e canal 512 NET HD-ABC.

Moradores do estado de São Paulo podem acompanhar o programa pela Rádio Brasil Atual (98,9 FM na Capital Paulista e 93,3 FM na Baixada Santista), nos mesmos horários.

Essa é uma boa pauta

cljornal

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS