Tempo - Tutiempo.net

Após BA registrar 83% de ocupação dos leitos de UTI, Rui Costa confirma reunião com prefeitos para definir restrições

Governador afirmou que medidas serão tomadas em consenso, mas admitiu que 'alguma coisa deve ser feita' diante da situação da Covid-19 no estado.

Governador Rui Costa anunciou a reunião durante entrevista nesta sexta-feira — Foto: Rildo Araújo/TV Bahia

O governador Rui Costa informou na manhã desta sexta-feira (21) que irá se reunir com prefeitos de cidades da região metropolitana de Salvador, na próxima segunda-feira (24), para definir novas medidas de restrição contra o avanço da Covid-19 na Bahia.

A decisão será tomada depois que o estado registrou 83% dos leitos de UTI ocupados, de acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria da Saúde (Sesab), na quinta-feira (20).

O anúncio foi feito durante uma visita a obras de macrodrenagem na localidade do Dique do Cabrito, em Salvador.

Rui cobrou cooperação da população e disse ser inadmissível as pessoas “dançarem” com o vírus, em referência às aglomerações promovidas em festas de diversos tipos, em bares, galpões e espaços para eventos.

“É uma tragédia e ficamos todos exaustos. Socialmente, economicamente, psicologicamente exaustos. É preciso não brincar com o vírus. Não dançar pagode, nem axé, nem forró com o vírus. Se você chamar ele para dançar em garagem, em paredões, ele vai levar você, seu pai, seu irmão. Não para dançar, mas para o caixão. Dá uma profunda indignação”, disse o governador.

O chefe do Executivo não deu detalhes sobre as medidas que serão adotadas, mas citou números de ocupação de leitos de UTI em regiões do estado, destacando a região de Paulo Afonso, no norte da Bahia, e regiões no extremo sul do estado que já atingiram 100% das unidades em uso.

Ainda nesta sexta-feira, Rui Costa falou, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que teve uma reunião com prefeitos de cidades do oeste baiano na quinta-feira.

De acordo com o governador, alguns prefeitos pediram a flexibilização das atividades do comércio, após carreatas de comerciantes realizadas na região. No entanto, Rui Costa não citou quais gestores municipais realizaram o pedido.

“Prefiro ver carreata de comerciante, do que de carro fúnebre indo para o cemitério”, disse o governador.

Trinta e seis cidades do oeste baiano estão com medidas restritivas mais duras desde o sábado (15). Na última sexta-feira (14), o Governo da Bahia anunciou o funcionamento apenas de serviços essenciais em 36 cidades da região. Ficou determinada também a restrição de locomoção noturna das 20h às 5h.

Segundo Rui Costa, o decreto das 36 cidades da região oeste valerá até a próxima terça-feira (25). Com isso, será realizada uma nova reunião com os gestores desses municípios na segunda-feira (24) para decidir o que será feito.

Alta de contágio em períodos de festa

Rui Costa disse também estar apreensivo com a aproximação do período do São João. Mesmo com os festejos juninos cancelados no estado, o governador destacou que as reuniões de família provocam aglomeração e descuidos nos cuidados sanitários.

E, segundo ele, sempre após períodos festivos é possível ver uma curva ascendente no número de pessoas infectadas pela Covid-19.

“Vou mostrar os gráficos do crescimento que temos da Covid, que está associado a alguma comemoração. Não é só evento de comemoração de rua.

Por exemplo, no dia das mães: nitidamente se vê uma linha horizontal e uma semana depois a “barriga” [a curva de contágio] crescer”.

“O vírus vive de transmissão pessoal. Principalmente quando há encontro sem máscara. Família de 20 pessoas, todo mundo confraternizando. Se um estiver contaminado, mais da metade vai estar. Todo evento comemorativo, mesmo que não seja evento de massa, gera contaminação na semana seguinte”.

Rui Costa afirmou, no entanto, que as decisões serão tomadas em consenso com os prefeitos municipais. Na quinta-feira, houve reunião com as 13 regiões de saúde do oeste do estado e amanhã estará com líderes do extremo sul e irá definir as medidas que serão adotadas nos próximos dias.

Entrega de obra no Dique do Cabrito

Etapa final das obras de macrodenagem na região do Dique do Cabrito, em Salvador — Foto: Divulgação/Secom

A fala de Rui Costa foi feita durante entrega da etapa final das obras de macrodrenagem na região do Dique do Cabrito. De acordo com o governo do estado, as obras custaram cerca de R$ 40 milhões e inclui a contenção de encostas e construções para a infraestrutura do local.

G1 BA

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS