Conselho do MP aceita reclamação de Lula contra promotor negligente que virou “veloz”

Processos

Deu na Folha, agora há pouco, que o Conselho Nacional do Ministério Público aceitou  a reclamação feita pelo ex-presidente  Lula  pedindo a apuração da conduta do procurador da República no Distrito Federal Valtan Timbó Mendes Furtado, que instaurou  investigação criminal contra ele por suspeita de tráfico de influência em favor da Odebrecht.

A ecisão partiu do corregedor nacional do Ministério Público, Alessandro Assad, o mesmo que, poucos dias antes do Dr. Timbó ter tomado a frente de uma investigação que era de outra procuradora e aberto o inquérito, tinha aberto um processo administrativo disciplinar contra ele, por deixar de cumprir, por negligência, o prazo legal de nada menos que 245 inquéritos.

No caso de Lula, porém, embora ainda faltassem mais de dois meses para o prazo e havendo ainda esclarecimentos a receber, Timbó viu a bola quicando e se adonou do processo.

Espera-se que o MP trate o caso de maneira exemplar.

A honra alheia não pode ser matéria prima para vedetismos e a manipulação das prerrogativas investigatórias da Procuradoria da República é o maior veneno que se pode usar contra a própria instituição e a democracia em geral.

Ninguém está imune a investigações, é verdade, mas não é menos verdade que investigação, como disse o próprio Procurador Geral Rodrigo Janot, se faz sobre fatos.

Como nenhum funcionário público, inclusive os procuradores, está dispensado dos deveres de impessoalidade, prudência e regularidade dos atos que pratica nesta condição.

Fernando Brito

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS