Tempo - Tutiempo.net

CRITICADO NO PSDB, AÉCIO PROPÕE ‘CARTA DE PRINCÍPIOS’ AO PARTIDO

Pressionado por setores mais ideológicos do partido e pela ofensiva política deflagrada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o senador Aécio Neves (MG) decidiu apresentar uma lista de propostas do PSDB para o resgate da economia do país.

O documento, que está sendo chamado por ele de “carta de princípios à nação”, será divulgado na convenção do PSDB, em julho, quando Aécio será reconduzido à presidência nacional da legenda.

A ideia é que a carta traga ainda propostas para outras áreas. Com ela, Aécio responde a integrantes históricos do partido, incluindo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que cobram publicamente a adoção de uma postura mais propositiva por parte da oposição.

A iniciativa ainda faz frente à ofensiva do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que nas últimas semanas tem feito movimentos para nacionalizar o seu nome.

A ideia de Aécio é fazer da convenção uma solenidade “programática”, para amenizar as críticas de que as bancadas do PSDB na Câmara e no Senado estão apostando no “quanto pior melhor”.

Fundador do partido, o ex-deputado Arnaldo Madeira criticou a oposição do PSDB às medidas do ajuste fiscal e o apoio ao fim da reeleição, aprovada no governo de FHC.

“Aécio é presidente do maior partido de oposição. Não vi o partido ter uma posição organizada sobre esses temas. Há chute para todo lado”, disse Madeira.

O próprio FHC, em artigo publicado neste domingo (7) no jornal “O Estado de S. Paulo”, afirmou que a oposição “não deve escorregar para o populismo, e sim apontar caminhos”. “A oposição de hoje será governo amanhã. […] Não nos aflijamos eleitoralmente antes do tempo.”

Aécio negou desconforto. “Talvez a maior virtude do PSDB seja a pluralidade. Nossa força vem daí, da capacidade de debater internamente, sem que isso signifique um racha”, disse.

MAIORIDADE

Alckmin e Aécio despontam como pré-candidatos da sigla à Presidência em 2018. A expectativa era que eles mantivessem o embate interno em banho-maria até o ano que antecede o pleito.

Na semana passada, porém, Alckmin deu entrevista ao jornal “O Globo”, do Rio, defendendo uma proposta alternativa à redução da maioridade penal. O gesto foi interpretado como um tentativa de “exportar” sua imagem e assumir a dianteira nos debates sobre o tema.

Alckmin sugeriu a aprovação de um texto que amplia a pena de menores infratores, mas não altera a maioridade –na eleição, no ano passado, Aécio defendeu outra proposta. O paulista disse ainda que buscará apoio em todos os partidos, inclusive o PT.

O governador vai a Brasília nesta terça-feira (9) defender sua tese junto à bancada do PSDB. Aécio vai participar da reunião, e vai advogar por outra estratégia.

O mineiro quer que seu partido adote como bandeira três projetos: o de Alckmin, o do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), que abre a possibilidade do julgamento como maior de idade para adolescentes que cometerem crimes hediondos, e uma proposta feita por ele, que triplica a pena de quem usa menores para cometer crimes.

“Vou defender que o PSDB feche com esses três projetos, para buscarmos um consenso com outras siglas que não querem a redução pura e simplesmente, mas também entendem que é preciso dar uma resposta à sociedade”, disse.

Fonte: DANIELA LIMA

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS