Desde início de onda de protestos agressão a jornalista cresce no país

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Pelo menos 83 jornalistas brasileiros foram agredidos desde junho, quando teve início a onda de protestos no país, segundo levantamento da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Quase 80% dos casos, ou 65 agressões, foram resultado da ação de policiais militares.

Para organizações de direitos humanos e entidades de classe, apesar de as manifestações terem elevado os números deste ano, a violência contra profissionais de comunicação tem crescido nos últimos anos. Os assassinatos, por exemplo, passaram de dois, em 2005, para seis, em 2011, de acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj).

Para o presidente da Fenaj, Celso Schröder, as agressões ocorrem principalmente na cobertura de política porque é na imprensa que se dá o confronto direto entre os interesses privados, que sejam ilegais, com o interesse público, e isso produz reações.

As entidades sindicais defendem a adoção de políticas públicas para combater esse aumento das hostilidades, como a formação de um observatório nacional que monitore as denúncias.

Fonte: Redação / Agência Brasil

OUTRAS NOTÍCIAS