Desorganização marcou a eleição para o Conselho Tutelar em Feira de Santana

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Recebemos diversas denúncias de a eleição de conselheiros para o Conselho Tutelar em Feira de Santana, realizada no domingo (25), foi desorganizada e as quatro regiões tiveram todas as urnas concentradas no Colégio Municipal Joselito Amorim, no centro de Feira de Santana.

A dificuldade dos eleitores que residiam na zona rural gerou sérios problemas e proporcionou que diversos candidatos, apoiados por vereadores e ex-veredores, contratassem veículos para transportar os eleitores até o local de votação.
O fato terminou provocando a prisão de quatro jovens por transporte irregular de eleitores.

A delegada Milena Calmon explicou que o transporte de eleitores é proibido por lei, uma vez que a eleição do Conselho Tutelar é regida pela Lei Eleitoral, que proíbe a prática.

Entretanto, os motoristas das Kombis apreendidas não tinham nenhuma informação sobre esse processo eleitoral. Eles foram contratados para transportar eleitores e, além do mais, não eram só eles que estavam fazendo esse trabalho de transportar as pessoas para o colégio Joselito Amorim.

O artigo que eles foram enquadrados foi o quinto da Lei. 609174 combinados com o código 602 da Lei Eleitoral. Os quatro foram flagrados pelo juiz e pela promotora de justiça da Vara da Infância e Juventude. É um crime de reclusão de quatro a seis anos, no qual a autoridade policial não pode arbitrar fiança. Foi feito o flagrante e eles estão à disposição da justiça, informou.

Um deles, Amádio José da Silva Filho, pessoa honesta, trabalhador, sustenta a família Fazendo o transporte de passageiros entre o distrito de Humildes e a sede do município, quando de repente se vê preso e encaminhado à Penitenciária de Feira de Santana.

A verdade é que muitos outros faziam esse mesmo serviço, a maioria com veículos particulares a serviço de vereadores, segundo comentários de inúmeras pessoas, que conheciam todo o processo legal da eleição que estava sendo realizada e nada sofreram.

Seria mais do que justo que as pessoas que contrataram os serviços dos quatro homens que foram presos, também respondessem pelo crime e se fossem candidatos recebessem a mesma punição, além de ter os votos anulados.   

Fonte: Redação cljornal

OUTRAS NOTÍCIAS