Dilma rebate recomendação do TCU de paralisar obras no Brasil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

Na última quarta-feira (6), o TCU (Tribunal de Contas da União) recomendou a paralisação de sete obras por suspeita de irregularidades como sobrepreço, deficiências na assistência técnica prestada às prefeituras e na metodologia utilizada para contratação de obras por meio do sistema de registro de preços. São elas: a pavimentação da BR-448, a Rodovia do Parque, na Grande Porto Alegre; a Ferrovia Norte-Sul, no Tocantins; a construção da Ferrovia Oeste-Leste, na Bahia; o esgotamento sanitário em Pilar, em Alagoas; a avenida Marginal Leste, no rio Poty, no Piauí; a construção da Vila Olímpica Parnaíba, no Piauí; e a ponte sobre o rio Araguaia, na BR 153, no Tocantins.

A recomendação, no entanto, foi criticada pela presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (8). Ela disse ser um absurdo e extremamente perigoso paralisar obra no Brasil porque depois ninguém repara o custo.

Dilma disse ainda que não perderá “por nada”a inauguração da BR-448, um dos projetos cuja paralisação foi recomendada pelo TCU, pois é uma obra “emblemática” para seu governo. “De qualquer jeito, essa obra vai ficar pronta”, comentou a presidente. “(É emblemática) para qualquer governo que sabe o que cada cidade precisa. Não tem nada a ver com eleição”, respondeu Dilma.

Fonte: Redação / O Globo

OUTRAS NOTÍCIAS