Tempo - Tutiempo.net

Governista, PSDB anuncia que vai “discutir” impeachment de Bolsonaro

Presidente do PSDB convoca reunião para discutir impeachment de Bolsonaro

 

Por meio das redes sociais, o PSDB anunciou que debaterá uma possível adesão à abertura de processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

O presidente da legenda, Bruno Araújo, convocou reunião extraordinária da Executiva tucana para discutir o tema. O encontro deve ser realizado nesta quarta-feira (8).

Não deve ser um debate tranquilo já que a sigla é uma das agremiações mais fiéis ao governo Bolsonaro no Parlamento.

Atualmente, é a sétima bancada na Câmara dos Deputados com 32 parlamentares.

Segundo a ferramenta Radar do Congresso, do site Congresso em Foco, o PSDB esteve a favor do Palácio do Planalto em 84% das 1.143 votações até 6 de setembro.

O Grito dos Excluídos é uma mobilização nacional realizada desde 1995, como um contraponto ao “Grito do Ipiranga”, que não trouxe a verdadeira independência ao povo brasileiro / Giorgia Prates

O comportamento dos sete senadores da bancada tucana não é muito diferente: se alinharam ao governo em 83% das 270 votações da Casa.

Em uma das votações recentes mais emblemáticas na Câmara, já que dizia respeito à pauta diversionista do bolsonarismo, os tucanos se dividiram em uma derrota do Planalto.

Foi na votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135. Ali, 14 deputados contrariaram a orientação do partido e votaram a favor do voto impresso, com 17 votos contrários.

“Momento vergonhoso”, diz presidente do PSDB

Em vista das dificuldades em viabilizar eleitoralmente um candidato para disputar as eleições presidenciais de 2022, uma “tempestade perfeita” pode se formar para que a legenda abandone o governo.

“Com as declarações de hoje, não dá para partido político se esconder”, disse Bruno Araújo, em entrevista ao site da CNN Brasil.

“Tem de haver posição clara do que pensa e como age cada partido em relação a esse vergonhoso momento da história brasileira.”

O governador de São Paulo e pré-candidato à presidência João Doria, pela primeira vez falou publicamente sobre o impeachment de Bolsonaro.

“Eu até hoje nunca havia feito nenhuma manifestação pró-impeachment, me mantive na neutralidade, entendendo que até aqui os fatos deveriam ser avaliados e julgados pelo Congresso Nacional”, avaliou.

Doria ficou no Centro de Operações da PM (Copom) acompanhando os atos em São Paulo.

“Mas depois do que assisti e ouvi hoje, em Brasília, sem sequer estar ouvindo, ele, Bolsonaro, claramente afronta a Constituição. Ele desafia a democracia e empareda a Suprema Corte brasileira.”

RBF

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS