Investigação suíça contra Paulo Maluf está em ‘fase final’

O procurador-geral da Suíça, Michael Lauber, afirmou que as investigações sobre contas naquele país ligadas a Paulo Maluf (PP) estão em sua fase final. Segundo Lauber, uma ação contra o ex-prefeito de São Paulo e hoje deputado federal deverá ser apresenta em breve. A medida poderá resultar numa ordem de devolução do dinheiro aos cofres brasileiros, assim como ocorreu com o caso Jersey.

“Entendo que já existem indícios suficientes”, disse o procurador ao Estado.

Segundo Lauber, Maluf e seus familiares mantêm contas na Suíça há quase 30 anos – o político nega. Documentos em posse da Justiça suíça mostram que, seis meses depois de perder a eleição presidencial indireta para Tancredo Neves, em 1985, no início da redemocratização no Brasil, uma primeira conta foi aberta tendo Maluf como beneficiário. No total, doze contas envolvendo o político e dois dos seus quatro filhos foram identificadas.

As contas que permanecem abertas, segundo o procurador, estão congeladas – todas elas ligadas a Lígia Maluf, filha do ex-prefeito. Em uma delas, na cidade de Lausanne, o bloqueio chega a US$ 7 milhões. Ao todo, há US$ 13 milhões bloqueados.

Ainda segundo as investigações das autoridades suíças, a primeira conta identificada estaria em nome de uma sociedade, tendo Maluf como o beneficiário. Essa conta, aberta em 1985, foi fechada no dia 11 de junho de 1997.

Das doze contas identificadas, apenas três estão abertas ainda na Suíça. Elas foram todas abertas entre junho e setembro de 2001. “Acredito que o caso esteja entrando em sua fase final”, afirmou o procurador suíço.

A defesa de Paulo Maluf informou nesta quarta-feira (06) que desconhece a existência de novo processo de investigação contra o ex-prefeito na Suíça.

Fonte: Redação / Estadão

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS