Ministério da Justiça investiga TelexFree

A empresa Ympactus, com sede em Vitória, responsável pelo serviço de telefonia pela internet Telexfree, mobiliza dois ministérios , procons, delegacias, Cade, CVM e Banco Central.

O Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor, investiga em âmbito nacional o modelo de negócio caracterizada por pirâmide financeira. Trata-se de um sistema de venda de créditos para uso de telefone pela internet (Voip, na sigla em inglês) que, segundo o advogado da empresa, Horst Fuchs, tem 600 mil usuários no mundo, sendo 90% deles no Brasil. Ele nega qualquer irregularidade.

A Telexfree se apresenta como prestadora de telefonia Voip. Os interessados podem atuar como divulgadores do sistema, por meio de publicidade pela internet. Há dois tipos de contrato anual, o ADCentral, de US$ 299 e que promete ganho líquido de US$ 2.295,80, e o ADCentral Family, de US$ 1.375, e ganho líquido de US$ 11.599. O divulgador ganha US$ 20 a cada novo divulgador que conquistar para o plano ADCentral, e US$ 100 para o ADCentral Family. As informações constam de uma apresentação disponível em um site de divulgação do serviço.

Segundo o advogado Fuchs, que representa a Telexfree e trata o sistema como \”marketing multinível\”, a remuneração média fica entre R$ 4 mil e R$ 8 mil por mês. Exceções chegam a faturar R$ 100 mil, diz ele.

Segundo Fuchs, fiscais do Ministério da Fazenda visitaram a sede da empresa nesta terça (12), no edifício Petro Tower, em Vitória (ES), e solicitaram documentos. Na segunda-feira (11), o departamento jurídico do Telexfree determinou que \”imediatamente todos os divulgadores que tenham blog, portal ou Facebook\” retirem os anúncios do ar \”porque há muitos excessos que não são pactuados pela empresa\”, afirma o advogado.

\”A oferta de enriquecimento ilícito não é filosofia da empresa\”, reitera ele.

O Ministério da Fazenda afirma que a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae), notificada também pela SNC, aguarda um posicionamento da Procuradoria da Fazenda sobre os procedimentos da empresa para se pronunciar. Também foram notificados o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Comissão de Valores Mobiliário (CVM) e o Banco Central (BC).

A Polícia Federal trata o caso como suspeita de estelionato . Em nota, informa que até o momento, \”o possível cometimento de um esquema conhecido como \’pirâmide\’ pela Telexfree\” não está sendo investigado pela corporação, por ser \”possível incidência clássica do crime de estelionato\”, que é de competência das polícias civis dos Estados.

Fonte: Redação/ Portal IG

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS