Morte de PMs: Pelo Facebook, pessoas defendem garoto e marcam manifestação

A página criada no Facebook “Não foi o Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini”, que contesta a linha de investigação da polícia que indica o garoto como principal suspeito de ter matado seus pais, avó e tia e cometido suicídio, já foi curtida por aproximadamente 24 mil pessoas.

 

Através da rede social, o grupo marcou uma manifestação para esta sexta-feira (16), às 18h, em frente ao DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), que investiga o caso. A convocação dos participantes foi feita com a publicação: “Vamos todos de branco e vamos fazer tudo sem violência”. Até às 11h30 desta quinta-feira (15), quase 300 pessoas haviam confirmado presença na manifestação.

 

A página do grupo contrapõe a versão da polícia com trechos de depoimentos de vizinhos e familiares. A responsável pela iniciativa prefere não se identificar, mas em uma mensagem ela diz ser “uma mãe indignada com tamanho absurdo” e em outra “uma cidadã comum”, sem ligações com a família das vítimas. A mulher afirma que a revolta com a falta de esclarecimento sobre o caso a fez abrir a página.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Redação, com informações do R7

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS