Tempo - Tutiempo.net

MOVIMENTOS SOCIAIS FARÃO ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DE LULA

Líderes de movimentos sindical, sociais e partidos decidiram ir às ruas de todo o Brasil na próxima quinta-feira 20

Líderes de movimentos sindical, sociais e partidos decidiram em reunião realizada nesta sexta-feira 14 que irão às ruas de todo o Brasil na próxima quinta-feira 20 com as bandeiras da defesa da democracia e do ex-presidente Lula, que foi condenado esta semana pelo juiz Sergio Moro.

Os protestos terão ainda como bandeiras o ‘Fora, Temer’, as ‘Diretas Já’ e contra a reforma trabalhista do governo Temer, sancionada nesta semana pelo peemedebista, após aprovação do Senado Federal.

“Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e restabelecer a democracia, a igualdade, a distribuição de renda, a justiça e a inclusão social”, apontou o presidente da CUT, Vagner Freitas. Segundo ele, não se trata de defender apenas a figura ou o legado do ex-presidente mas, também o funcionamento democrático e igualitário da justiça brasileira e os direitos sociais, previdenciário e trabalhistas.

“Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos. A condenação de Lula pelo Moro é mais um golpe à já combalida democracia brasileira, porque quando a justiça toma partido, condena sem provas, age pela presunção da culpa e um juiz se torna acusador, há algo sério acontecendo. Por isso fazemos parte dessa campanha que repudia essa acusação sem provas como parte da tentativa de tirar no tapetão o Lula da disputa política”, ressaltou Guilherme Boulos, líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo.

Segundo informações da CUT, em São Paulo, a mobilização acontece na Avenida Paulista, a partir das 17 horas, e terá entre os participantes o ex-presidente Lula, alvo da parte jurídica do golpe que começou com a ascensão de Michel Temer. A central sindical organizará ainda e participará de atos em todo o país.

No dia da condenação de Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 9 anos e meio de prisão, movimentos sociais protestaram na Avenida Paulista.

Leonardo Attuch

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS