NEGROS QUE SOMOS

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Ainda hoje, nulos em riqueza de pensamentos tocam, em regiões brasileiras, o Réquiem para negros. Não sabem eles o que há de beleza no negro que é muito mais do que uma cor pois do negro a luz se fez e se faz todos os dias.

Não sabem, também, os bárbaros de hoje que Deus tem um pé ou melhor, toda a Sua Essência nas senzalas do Brasil e das Américas e nas tribos negras africanas e nos permitiu, mesmo com muita dor, com tantas lágrimas e mortes, enfrentar a tudo e a todos, amedrontando os antigos ‘senhores” e a sua escória.

Então, negar o valor do negro e a sua essência é o mesmo que negar a Onisciência de Deus, a Onipotência de Deus, a Onipresença de Deus, isso, sem que esteja blasfemando pois o negro é potencia pela sua força, pela suas qualidades artisticas, esportivas, intelectuais; é presença poderosa no aspecto social, econômico, cultural e revolucionário neste pais e em outros países; o negro é consciente das suas necessidades e dos seus direitos, do seu que fazer nos tempos atuais e por isso luta e tem que ser respeitado como ser cidadão.

Negros: homens, mulheres, crianças, idosos vigiai, pois o exercicio da liberdade é a eterna vigilância, já que estamos em perigo constante, sejamos intelectuais ou estudantes ou ainda negros mais simples, homens comuns pois querem vender de novo a nossa carne negra como se fosse a mais barata do mercado, o que não é verdade porque somos seres de qualidades múltiplas, de várias competências em todos os campos da produção científica, econômica, cultural, artistica, desportiva, educacional.

Negros, em pleno século XXI, Terceiro Milênio, tempo em que os homens definem como Era da Comunicação que por si só representa CIVILIDADE, tenhamos cuidado com os seguidores de Adolf Hitler, de Smith-religioso, de Benito Mussolini e outros que foram os que complementaram o lixo sobre a terra, ou seja, o pensar em raça superior por terem a pele branca, desejando a supressão dos negros da face da Terra, nós, negros, que fizemos e fazemos parte dos mais diferentes momentos históricos da humanidade com suor e sangue e pensamos e cantamos e dançamos e somos vida!…

Negros, o medo que se faz presente através das agressões dos incautos brancos contra todos nós é o medo que eles têm por nos ver ascendendo a cada dia como intelectuais, como artistas, como educadores, como jornalistas, como executivos, como profissionais liberais, desportistas, enfim, como homens e mulheres de ação em um século em que negros e negras surgem como o novo paradigma social porque fomos fazendo história acima da história corrompida, acima da história do desprezar por medo, o irmão de pele diferente, de cabelo duro, de beiços grossos, mas que têm sentimentos fortes e, por serem homens e mulheres fortes foram açoitados como forma de intimidação daqueles que têm medo de negros e que procurarão sempre viver na contra-mão da História.

Negros, vigiai, sim.

Somos diferentes e orgulhosos disso.

O que será mais nobre do que ser negro e buscar vencer sempre dentro de uma sociedade constituida por muitos brancos, asiáticos (antes amarelos), índios (quase que extirpados da Terra, assim como muitos animais) e negros?
Chegamos como escravos nos Navios Negreiros, fomos açoitados, passamos fome, tivemos as nossas negras e belas mulheres estupradas pelos “senhores” brancos, e hoje somos executivos e muito mais, somos os melhores em praticamente tudo e temos desembargadores negros , cantores maravilhosos (perdemos a grande Voz, ontem ás seis horas da manhã), atores e atrizes, pensadores, educadores, rei do futebol, atletas olímpicos e paraolímpicos, modelos e, o Presidente do Supremo Tribunal Federal.

E, sabem por que tudo isto? Porque nossas palavras não são palavras vãs e, como negros fomos, somos e seremos sempre a flor do amanhecer.

Fonte:

OUTRAS NOTÍCIAS