Tempo - Tutiempo.net

Rita Lobo zoa o bolsonarismo com laranja, escondidinhos e muitas pitadas de humor

RITA LOBO RALANDO UMA LARANJA, SEU INGREDIENTE FAVORITO NO TWITTER.

No dia 13 de maio, o bolsonarismo tremeu: a apresentadora e chef Rita Lobo anunciou que iria fazer receitas para a CPI do Genocídio.

 

E não deu outra. A primeira receitinha do “especial gastronômico da CPI” apareceria no twitter de Rita apenas três dias depois, após o presidente da República chamar de “idiotas” os brasileiros que ainda fazem isolamento social para não serem contaminados com o coronavírus. Repare na sutileza do leite “condenado”…

 

Desde junho do ano passado, quando saiu a notícia que o fugitivo Fabricio Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, havia sido encontrado na casa do advogado de Jair em Atibaia que a chef se esmera em provocações quentinhas e deliciosas ao bolsonarismo.

Geralmente as receitas levam laranja, bem ao gosto da família que se encontra no poder, ou “limão miliciano”, como diz Rita.

 

 

Os trocadilhos com os ingredientes, aliás, são o ponto alto das receitinhas. O bolo milícia de limão com cobertura rachadinha e crocante virou tendência.

 

A cobertura rachadinha apareceria novamente sobre um fofinho bolo de laranja… Parece que Flávio Bolsonaro aprovou.

 

A surreal declaração de Jair Bolsonaro, em janeiro, afirmando que quem toma vacina “pode virar jacaré” imediatamente se transformou numa receita pelas mãos da talentosa chef.

 

Ah, um minion não gostou da receita? A “titia” faz outra.

 

 

O legal é que Rita Lobo também funciona como agência de checagem. O governo disse que o vírus foi inventado na China? É men-ti-ra.

 

Quando os veteranos jornalistas Leda Nagle e Alexandre Garcia apagaram os vídeos onde faziam propaganda da cloroquina, da ivermectina e do “tratamento precoce” que não existe, também se tornaram alvo das pitadas de ironia da apresentadora.

 

O preconceito de classe explícito do ministro da Economia, Paulo Guedes, tampouco escapou da fritura a fogo brando de Rita.

 

Tem Pazuello (que usou a desculpa de suspeita de Covid-19 para fugir à CPI), tem Ramos (o general que tomou vacina escondido), tem Ricardo Salles: poucos ministros de Bolsonaro escaparam à faca, ou melhor, à língua afiada de Rita Lobo.

Confira abaixo outras receitas dela para zoar o bolsonarismo com classe. E com gostinho de quero mais…

 

 

 

Na íntegra.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS