Tempo - Tutiempo.net

EUA se retiram formalmente de acordo de armas nucleares com a Rússia

Ex-presidente dos EUA, Ronald Reagan, e ex-presidente da Rússia, Mikhail Gorbachev, assinam tratado sobre mísseis na Casa Branca em 1987 (Foto: REUTERS/File Photo)

Os Estados Unidos se retiraram formalmente nesta sexta-feira de um pacto histórico de mísseis nucleares com a Rússia, depois de determinar que o governo usso está violando o tratado, algo que o Kremlin nega.

O presidente dos EUA, Donald Trump, determinou que o país encerrará a filiação ao acordo de controle de armas de 1987, conhecido como Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), disseram autoridades de alto escalão a repórteres.

O tratado proíbe os dois lados de instalarem mísseis terrestres de alcance curto e intermediário na Europa. Os EUA sinalizaram seis meses atrás sua intenção de sair do acordo se a Rússia não mostrasse que iria cumpri-lo.

“Os Estados Unidos não continuarão filiados a um tratado que é violado deliberadamente pela Rússia”, disse o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em um comunicado a respeito da saída norte-americana.

“O descumprimento russo do tratado ameaça interesses supremos dos EUA, e o desenvolvimento e instalação russos de um sistema de mísseis que viola o tratado representam uma ameaça direta aos Estados Unidos e nossos aliados e parceiros”, disse Pompeo.

Os funcionários graduados, que falaram pedindo anonimato, disseram que a Rússia mobilizou “batalhões múltiplos” de um míssil de cruzeiro russo por toda a Rússia, inclusive no oeste, “com a capacidade de atacar alvos europeus críticos” — uma violação do pacto.

A Rússia nega a alegação, dizendo que o alcance do míssil o exclui do tratado, e acusou os EUA de usarem um pretexto falso para saírem de um tratado com o qual Washington quer mesmo romper para desenvolver novos mísseis.

Moscou também rejeitou a exigência norte-americana de destruir o novo míssil, o Novator 9M729, conhecido pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) como SSC-8.

Em reação à medida dos EUA, a Rússia disse que pediu a estes para declararem e cumprirem uma moratória na mobilização de mísseis nucleares de alcance curto e intermediário na Europa.

“Propusemos aos Estados Unidos e a outros países da Otan que pesem a possibilidade de declarar o mesmo tipo de moratória na mobilização de mísseis de alcance curto e intermediário como os nossos, como aquela anunciada por (presidente russo) Vladimir Putin”, disse o vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, segundo citação da agência de notícias Tass.

Reuters
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS