Evo Morales aumenta seu salário e diz que foi ‘obrigado’

O presidente da Bolívia, Evo Morales, assinou nesta quarta-feira (1°) um decreto para aumentar seu salário em 20%, até os US$ 2,5 mil, com o argumento de que “foi pressionado” a fazer isso para permitir um aumento dos salários dos profissionais do Estado.

Morales disse em discurso na porta do Palácio do Governo em La Paz que na ‘verdade não gosta’ da ideia de aumentar o salário, que até agora era de US$ 2,1 mil, mas que se sentiu obrigado a fazer por essa razão.

O presidente explicou que profissionais que trabalham para o Estado, como os docentes universitários, pediram um aumento de salário porque na Bolívia os empregados estatais, salvo casos excepcionais em empresas estratégicas, não podem gnhar mais do que seu líder.

Morales insistiu que as universidades estatais estão perdendo seus melhores profissionais porque não tiveram aumento desde 2006.

“Este fato me obriga fazer com que o salário do presidente use uma nova escala salarial referente a 15 salários mínimos. Repito, não gosto, mas fui obrigado depois que entendi que nossos profissionais não vão para o setor privado”, ressaltou. Os 15 salários mínimos somam neste ano US$ 2,5 mil. 

Fonte: Redação / G1

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS