Grupo fascista ergue monumento a ex-presidente nazi em Budapeste

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

O partido de extrema-direita “Movimento por uma Hungria Melhor” (Jobbik) ergueu e inaugurou um grande busto de bronze em Budapeste em homenagem ao ex-presidente húngaro Miklos Horthy, que colaborou ativamente com o regime nazi, permitindo a deportação de milhares de judeus para os campos de concentração alemães.

Um dos organizadores da homenagem a Horthy, Marton Gyongysi, vice porta-voz do Jobbik no Parlamento, onde são terceira força política, foi obrigado a retratar-se publicamente no ano passado após pedir a elaboração de um registro dos cidadãos húngaros de origem judaica.

Miklos Horthy, o principal símbolo da extrema-direita húngara, governou o país com mão de ferro durante 24 anos e cedo se aliou com a Alemanha de Adolf Hitler em 1944. Com a ocupação nazi, sobre o mandato de Horthy, as autoridades húngaras deportaram mais de 437 mil judeus húngaros em 56 dias.

Em resposta a este evento público, aproximadamente mil manifestantes expressaram a sua repulsa à homenagem feita a Horthy, a mesma resposta obteve do partido de governo Fidesz – União Cívica Húngara do polêmico populista de direita Viktor Órban.

O prefeito de Budapeste, Antal Rogan, do Fidesz, classificou o busto como uma “provocação”. Ele argumentou que isso dará à imprensa de esquerda da Europa ocidental uma desculpa para denunciar o antissemitismo (no país) e atribuir à Hungria uma imagem negativa.

Fonte: Redação /

OUTRAS NOTÍCIAS