Tempo - Tutiempo.net

Guerra nuclear: promessa da OTAN de aderir Ucrânia à aliança é ‘bomba’ que pode detonar a qualquer hora

Ucrânia, OTAN e UE, podem fazer a Rússia usar armas nucleares

Há muito, a Rússia avisa o Ocidente que a promessa da OTAN de incorporar a Ucrânia à aliança é “um mecanismo de bomba que vai detonar mais cedo ou mais tarde”, afirmou o vice-chanceler russo, Aleksandr Grushko.
A Rús

A Russia observa com calma as ambições da UE de criar seu próprio potencial militar, mas são os EUA que não querem permitir isso.

“Nós muito calmamente observamos as ambições da União Europeia de criar sua independência político-militar, de criar o que seria o seu próprio potencial militar”, afirmou em transmissão do canal de TV Rossiya 24.

De acordo com suas palavras, “a política dos EUA é justamente dirigida para não permitir a formação de uma capacidade tão autônoma da UE no domínio político-militar”.

O diplomata ressaltou ainda que Moscou sempre defendeu as soluções político-diplomáticas e não militares.

Contudo, “nós sempre alertamos que, se não for possível resolver [o conflito] pela via diplomática, na base do consenso e do equilíbrio de interesses, cabe a nós tomar medidas, que para nós são necessárias. Daí já vai ser tarde para perguntar por que fizemos isso”.

Quanto às sanções europeias contra a Rússia, o diplomata comentou:

“Se observarmos o que acontece hoje nos setores econômico e financeiro, o Ocidente simplesmente abala suas próprias instituições, suas próprias regras”.
Panorama internacional

Conforme as palavras de Grushko, se olhar do ponto de vista dos interesses de segurança, mais cedo ou mais tarde a Europa deve entender que a formação de uma estrutura central da OTAN no continente não vai levar a nada, sendo apenas a “transformação de si [Europa] em um objeto de planejamento militar”.

O vice-chanceler acrescentou também que as garantias de segurança continuarão sendo uma questão-chave para a Rússia, mas se essa for resolvida, então será possível pensar na nova arquitetura das relações com a OTAN.

SPUTNIK

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS