Tempo - Tutiempo.net

MD russo: ataque de alta precisão destrói centro logístico com grande remessa de armas dos EUA e UE

© Sputnik / Sergei Malgavko

Desde o começo da operação militar russa na Ucrânia, países do bloco europeu e Washington enviam continuamente robustos pacotes de armamentos a Kiev.

O ataque russo de hoje (18) destruiu munições que chegaram nos últimos seis dias.

Nesta segunda-feira (18), o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, anunciou que um ataque de alta precisão destruiu um centro logístico com grandes remessas de armas dos EUA e União Europeia perto de Lvov.

“Na manhã de 18 de abril, mísseis disparados pela Força Aeroespacial da Rússia [aeronaves] realizaram um ataque de precisão contra o 124º Centro Logístico Conjunto do Comando das Forças Logísticas das Forças Armadas ucranianas.

O centro logístico e um grande lote de armas estrangeiras entregues para a Ucrânia nos últimos seis dias dos Estados Unidos e países europeus foi destruído”, disse Konashenkov em briefing.

Ao mesmo tempo, mas separadamente, as Forças Armadas russas bombardearam um grande depósito de munição perto da vila de Vaskov, próxima a Kiev, informou o porta-voz.

No total, ao longo do dia de hoje (18), mísseis russos atingiram 16 instalações militares em território ucraniano, entre eles dois postos de comando, duas fortalezas contendo tropas ucranianas e áreas contendo concentrações de pessoal inimigo e equipamentos militares perto dos assentamentos de Popasna, Barvenkovo ​​e Krasny Lyman em Lugansk, Carcóvia e Donetsk.

Além disso, a aviação tática russa realizou ataques contra 84 alvos militares separados, destruindo uma instalação de reparo de mísseis táticos Tochka-U em Dnepropetrovsk, um posto de comando de batalhão territorial na área de Zelenoyo Pole e dois depósitos de munição e combustível perto de o assentamento de Chervonnaya Polyana.

As tropas russas de artilharia e foguetes atingiram 331 objetos, incapacitando nove postos de comando, um depósito contendo munição de artilharia de foguetes e 315 áreas onde as tropas inimigas estavam concentradas em áreas próximas aos assentamentos de Popasnaya, Lugansk e Novomayorskoe, Dnepropetrovsk.

Um ataque na área do assentamento de Novotoshkovskaya em Lugansk também eliminou até 120 milícias neonazistas e nove equipamentos militares, disse Konashenkov.

Panorama internacional

Forças Armadas da Rússia aniquilam 1.035 mercenários estrangeiros na Ucrânia, diz MD]

Durante um briefing na manhã de 17 de abril, o Ministério da Defesa russo informou que mais 68 instalações militares foram destruídas nesta noite na Ucrânia, inclusive seis armazéns de munições de mísseis e artilharia e de combustível.

A aviação russa atingiu quatro concentrações de pessoal e equipamento do lado ucraniano, no decorrer do que foram eliminados mais de 50 militares do Exército ucraniano.

Além disso, foram derrubados dez veículos aéreos não tripulados, informou o representante do MD russo, major-general Igor Konashenkov.

A entidade informou que Kiev proibiu a realização de negociações sobre rendição e ordenou aos nacionalistas do batalhão Azov para fuzilarem todos os que estiverem dispostos a depor as armas.

Anteriormente, as Forças Armadas russas propuseram aos militantes dos batalhões nacionalistas e aos mercenários estrangeiros no território da fábrica Azovstal, cercada pelos russos em Mariupol, para pararem todas as ações de combate e deporem as armas.

De acordo com o major-general Igor Konashenkov, atualmente na Azovstal estão cercados até 400 mercenários estrangeiros que compõem parte do agrupamento ucraniano, a maioria deles são cidadãos europeus e também do Canadá.

A entidade afirma que as comunicações de rádio entre os combatentes em Mariupol são conduzidas em seis línguas e ressalta que em caso de resistência todos eles serão eliminados.

“No total, desde o início da operação militar especial, Kiev atraiu para a Ucrânia 6.824 mercenários estrangeiros de 63 países. O grupo mais numeroso chegou da Polônia: 1.717 combatentes […]

Em resultado dos combates o número de mercenários continua decrescendo e hoje em dia há 4.877 combatentes”, informou o militar russo.

Assim, o Exército russo eliminou 1.035 mercenários, enquanto outros 912 fugiram do território ucraniano, detalhou.

Conforme suas palavras, os mercenários que chegaram à Ucrânia não são combatentes legais, e o melhor destino que podem esperar é uma longa pena de prisão.

Além do mais, a pedido do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, grupos de operações especiais russos resgataram e salvaram reféns muçulmanos que eram mantidos em uma das mesquitas de Mariupol. Durante a operação foram eliminados 29 combatentes, incluindo mercenários.

Todos os reféns foram liberados e levados para um local seguro, relatou Konashenkov.

Segundo informou no sábado (16) o representante da Defesa russa, o major-general Igor Konashenkov, durante a noite as forças russas atingiram mais 811 instalações do Exército ucraniano, inclusive 43 postos de comando das unidades de suas tropas.

Além disso, os sistemas da defesa aérea russos derrubaram um caça ucraniano Su-25, a 15 quilômetros da cidade de Izyum, na região de Carcóvia.

O militar informou também que as forças russas destruíram, com armas de alta precisão e longo alcance, a fábrica de veículos blindados em Kiev e oficinas de reparação de equipamento militar em Nikolaev.

Nesta noite, a Força Aeroespacial da Rússia eliminou 16 instalações ucranianas, inclusive nas áreas de Poltava e Nikolaev. O representante da entidade militar especificou que, na região de Nikolaev, foram destruídos dois armazéns de armas de artilharia e, no sudeste de Poltava, foi atingida a base central de armazenamento de dispositivos de reconhecimento e comunicação.

A aviação tático-operacional da Rússia atingiu 67 locais de concentração de pessoal das tropas da Ucrânia, segundo o major-general.

“Desde o início da operação militar especial na Ucrânia, as forças russas destruíram 133 aviões das forças ucranianas, 458 veículos não tripulados, 246 sistemas de mísseis, 2246 tanques e outros veículos blindados de combate, 252 lançadores múltiplos de foguetes, 981 armas de artilharia e um morteiro, bem como 2.146 equipamentos militares especiais”, de acordo com o comunicado.

Sútnik

A situação da Ucrânia, militarmdente, fica cada vez mais debilitada e sem qualquer possibilidade de realizar contra ataaques. Para finalizar essa operação russa a Ucrânia tem aceiar as condições apresentadas pela Rússia ou se render. Sem essas possibilidades a OTAN, digo EUE, tem que começar a terceira guerra mundial, aí o desastre global abre suas portas.

cljornal

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS