Museu britânico expõe a mais avançada reconstrução da face de um homem Neolítico

 

Conhecido como o mais famoso e misterioso templo pré-histórico do mundo, Stonehenge abriu no último mês de dezembro seu novo museu nos arredores de Salisbury, no sul da Inglaterra, trazendo um grande atração. Os turistas que forem ao local, podem encontrar a mais avançada reconstrução da face de um homem Neolítico – que nasceu 500 anos antes de o mais antigo monumento de pedra apareceu no local.

O rosto foi reconstruído a partir de um esqueleto de 5.500 anos encontrados na área. Grupos locais chegaram a protestar exigindo que ele fosse enterrado, mas o trabalho de análise foi feito e permitiu aos cientistas criar o modelo mais realista de um indivíduo da pré-história britânica.

Bem preservado, o esqueleto foi descoberto na década de 1860 numa tumba elaborada. Segundo especialistas, ele representa um raro exemplo da anatomia do povo neolítico. Seu rosto foi refeito pelo escultor sueco Oscar Nilsson, usando informações de análises dos ossos e dos dentes.

O comprimento dos ossos, o peso do esqueleto e sua idade – estimada entre 25 e 40 anos – foram usados para determinar a espessura da pele do rosto e definição do formato dos músculos da face.

O trabalho foi feita com base de argila e pele de silicone. Saliências do crânio revelam que o Homem de Stonehenge tinha grande vigor muscular – o que não é surpreendente, dado o estilo de vida Neolítico . Ele tinha características muito masculinas, como um queixo e maxilar bem definidos. Até a abertura do museu, a equipe não teve tempo suficiente para fazer análise do DNA do Stonehenge Man, mas isso teria sido difícil de qualquer maneira, pois a manipulação ao longo dos anos pode ter contaminado o DNA do esqueleto.

Fonte: Redação com informações de agências internacionais

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS