ONU confirma uso de gás sarin em ataque na Síria

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Inspetores da ONU informaram, nesta segunda-feira (16), que armas químicas foram utilizadas em larga escala na guerra da Síria e que há claras evidências de que gás sarin matou centenas de pessoas no ataque realizado no dia 21 de agosto, próximo a Damasco.

 

O relatório, que será divulgado pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirma: “A conclusão é que armas químicas foram utilizadas no conflito em curso entre as partes na República Árabe da Síria… contra civis, incluindo crianças, em uma escala relativamente grande”.

O documento afirma que há evidências “claras e convincentes” do uso de gás sarin em um ataque perto de Damasco no mês passado. Os Estados Unidos afirmam que 1.400 pessoas faleceram neste ataque.

 

E acrescenta que “mísseis terra-terra contendo o agente neurológico sarin foram utilizados” no ataque de 21 de agosto. Estas informações estavam na primeira página do documento e foram vazadas inadvertidamente depois da divulgação de uma foto na qual o líder da investigação da ONU, Ake Sellstrom, entrega o relatório a Ban Ki-moon.

 

Ban deve entregar o relatório completo ao Conselho de Segurança da ONU nesta segunda-feira. Estados Unidos, Grã-Bretanha e França acusam as forças do presidente Bashar al Assad pelo ataque de 21 de agosto perto de Damasco. O governo sírio, apoiado pela Rússia, nega qualquer envolvimento no crime e acusa os rebeldes.

 

Fonte: Redação/ R7

OUTRAS NOTÍCIAS