Tempo - Tutiempo.net

REVIRAVOLTA NA CRISE ENTRE O IRÃ E OS EUA

Protestos no Irã após reconhecer derrubada de avião da Ucrânia

O assassinato do general Qasem Soleimani e o ataque de mísseis do Irã a bases americanas no Iraque em retaliação aumentaram o medo de um conflito com implicações de longo alcance.

O cenário de perdedores ou vencedores dessa crise pode mudar rapidamente, dependendo do que os Estados Unidos e o Irã fizerem.

Então, quem está ganhando ou perdendo?

O Irã poderia se beneficiar no curto prazo.

Apesar da perda de uma figura militar tão poderosa, o Irã poderia sair lucrando com o assassinato do seu próprio general, Qasem Soleimani.

 O  erro cometido pelos militares iranianos ao abater um avião de passageiros da Ucrânia, está mudando o cenário.

O fato gerou fortes protestos Irã. Até cartazes com a foto do general Soleimani foram rasgados.

O governo iraniano enfrenta manifestações não esperadas.

Trump aproveita e manda um recado. Estamos ‘prontos para tudo.

O irá perde força no processo de vingança, o preço do petróleo está estabilizado e agora o líder religioso e número um do país Ali Khamenei, enfrenta protestos internos.

Trump está sendo vitorioso nesse enfrentamento e ainda poderá levar vantagem no processo eleitoral americano, conseguindo a sua reeleição. Essa era intenção do presidente americano.

A vingança iraniana por enquanto deixou de ser a prioridade do governo. O enfrentamento do descontentamento do seu povo com o ataque equivocado a uma aeronave civil causando a morte de 176 passageiros, incluindo tripulantes,passou a ser o maior pesadelo do governo iraniano.

Esse desastre militar aguçou a divisão política da elite, que momentaneamente tinha se unido contra o assassinato do general.

O Irã está sob a pressão das sanções econômicas ditadas pelos EUA em 2018, após o presidente americano, Donald Trump, determinar a saída de seu país do acordo nuclear firmado com os iranianos em 2015.

No ano passado, a situação piorou depois que o Irã derrubou um drone militar americano e deteve navios petroleiros na região do Golfo. O país também foi acusado de patrocinar ataques com mísseis, como o caso ocorrido em setembro contra instalações petrolíferas sauditas. O regime iraniano negou participação.

O Irã já reagiu aos Estados Unidos com um ataque de mísseis contra tropas americanas no Iraque. O país poderia se beneficiar ao continuar demonstrando seu apreço pelo general morto e ao mesmo tempo fomentar a ansiedade do público em relação ao que pode ocorrer no futuro.

Mas todos os prováveis planos dos dirigentes iranianos, foram destruído ao cometerem o erro militar de baterem, com míssel, um avião comercial da Ucrânia e matarem 176 pessoas.

Trump agora nada de braçadas, mas continua pronto para qualquer intervenção militar se necessário for.

cljornal com informações de 

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS