Tempo - Tutiempo.net

Rússia convoca embaixador e manda recado aos EUA: “Relação em risco”

Embaixador dos Estados Unidos em Moscou, John Sullivan,

Nesta segunda-feira, o governo russo convocou o embaixador dos Estados Unidos em Moscou, John Sullivan, mandou alertas ao governo norte-americano.

Falas contrárias à guerra na Ucrânia do presidente Joe Biden foram o pontapé para o “ultimato diplomático”.

Ainda hoje, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia confirmou que chamou Sullivan.

Segundo agências internacionais de notícias, o alerta foi claro: “Comentários feitos por Joe Biden sobre Vladimir Putin deixam a relação entre os dois países em risco” .

Na semana passada, o mandatário norte-americano afirmou que a guerra na Ucrânia está sendo comandada por um “ditador assassino e puro bandido”, se referindo a Putin.

Em ocasiões anteriores, Biden já havia chamado o líder russo de “criminoso de guerra”.

“Esse tipo de declaração do presidente americano, que não é digna de um político de alto nível, coloca as relações russo-americanas à beira de uma ruptura” , diz o comunicado da diplomacia russa.

Ao longo do mesmo evento, o ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, defendeu a Ucrânia e pediu para que o presidente russo, Vladimir Putin, reconhecesse estar errado e deixasse o país em paz.

Negociações estagnadas

As negociações para um acordo de paz no Leste Europeu não tiveram um andamento muito efetivo, o que continua impedindo o fim do conflito russo-ucraniano. Na manhã de hoje, o governo russo voltou a reclamar da falta de entendimento.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, admitiu que as conversas com o governo ucraniano não progrediram. Ele também descartou possível encontro entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o mandatário ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

A Rússia acusa a Ucrânia de paralisar os diálogos de paz, propondo acordos inaceitáveis. Já o governo ucraniano afirma que está disposto a negociar, mas não se renderá nem aceitará ultimatos russos.

“Para que possamos falar de uma reunião entre os dois presidentes, é preciso fazer o dever de casa. As conversações têm que ser realizadas, e seus resultados têm que ser acordados”, disse Peskov. E emendou: “Não houve nenhum progresso significativo até agora”.

Cljornal com informações do SPUTNIK

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS