Tempo - Tutiempo.net

Rússia garante resposta “forte” e “dolorosa” aos EUA após sanções

Presidente da Rússia, Vladimir Putin

Nesta quarta-feira (23), a Rússia disse que dará uma resposta “forte” e “dolorosa” às  sanções anunciadas pelos Estados Unidos após o presidente Vladimir Putin reconhecer a independência das autoproclamadas repúblicas de Luhansk e Donetsk, no Leste da Ucrânia, e enviar tropas militares à região .

“Que não haja qualquer dúvida: haverá uma resposta forte a essas sanções, não necessariamente simétricas, mas bem calculadas e dolorosas para os Estados Unidos”, informou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em comunicado.

Nessa terça-feira (22), o presidente norte-americano Joe Biden impôs uma “primeira rodada” de sanções a Moscou . Caso a Rússia não recue na escalada na Ucrânia, o governo dos EUA prometeu medidas adicionais contra o país.

“A Rússia mostrou que, com todo o custo que as sanções implicam, é capaz de minimizar os danos que causam”, rebateu a diplomacia russa, dizendo que as medidas “não podem influenciar a vontade da Rússia de defender firmemente seus interesses”.

Na nota, o governo russo mencionou uma “chantagem e intimidação” por parte dos Estados Unidos, mas anunciou que continua “aberto a uma diplomacia baseada nos princípios do respeito mútuo, da igualdade e da consideração de interesses mútuos”.

Hoje, a  China acusou os Estados Unidos de criar “medo e pânico” com a crise na Ucrânia e se mostrou contra as sanções , afirmando não ser “a melhor maneira de resolver os problemas”.

“Na questão da Ucrânia, ao contrário dos EUA, que continuam enviando armas para a Ucrânia, criando medo e pânico e até mesmo reforçando a ameaça de guerra, a China tem pedido a todas as partes que respeitem e prestem atenção às preocupações legítimas de segurança de cada um, trabalhem juntos para resolver problemas por meio de negociações e consultas e manter a paz e a estabilidade regionais”, afirmou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, em entrevista coletiva.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS