Tempo - Tutiempo.net

srael confirma menor eficácia da vacina Pfizer contra cepa Delta e considera aplicação de 3ª dose

Premiê Naftali Bennett

O Ministério da Saúde de Israel reportou nesta segunda-feira (5) uma diminuição em eficácia da vacina anti-COVID-19 da Pfizer/BioNTech contra a propagação da variante Delta no país, informa o jornal The Times of Israel.

A eficácia do imunizante caiu até 64% quanto à prevenção de infecções sintomáticas durante o mês passado, informou a entidade, ressaltando que a diminuição coincidiu com a rápida propagação da variante Delta, mais contagiosa, em todo Israel.

No entanto, os funcionários de saúde asseguraram que a imunização da Pfizer ainda oferece uma forte proteção contra as formas graves da doença e as internações, onde mostra uma eficácia de 93%.

Embora o ministério não tenha apresentado em sua declaração os números anteriores, um comunicado publicado em maio indicava que a vacina Pfizer tinha uma eficácia de 97% contra as infecções graves depois de duas doses.

Em março, pesquisadores israelenses também descobriram que a imunização era eficaz em 91,2% contra qualquer grau de infecção sintomática.

Terceira dose?

Os novos dados surgiram em meio a um ligeiro aumento dos contágios em Israel, onde o total de casos ativos chegou a 2.766 na segunda-feira (5), após confirmação de 369 novas infecções. Acredita-se que a variante Delta represente mais de 90% do total de casos.

A rápida propagação desta cepa forçou o ministro da Saúde israelense, Nitzan Horowitz, a encomendar dois estudos médicos que analisem a necessidade de uma terceira dose de vacina, dizendo que estas pesquisas proporcionarão “informação vital” aos responsáveis políticos.

O gabinete do premiê Naftali Bennett declarou que os estudos “avaliarão a eficácia da vacina e a velocidade a que desaparece com o tempo”.

Apesar de quase 60% da população de Israel – de 9,3 milhões de habitantes – terem recebido ao menos uma dose da vacina Pfizer, os casos seguem aparecendo entre os imunizados.

Na sexta-feira (2), mais da metade das novas infecções reportadas foram em pacientes já vacinados.

Sputnik

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS