“Essa mulher vai pedir meu impeachment”, disse Bolsonaro sobre Janaína Paschoal

Janaína Paschoal e Jair Bolsoanro (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados | José Cruz/Agência Brasil)

 Além da revelação de que o general Augusto Heleno considerava Jair Bolsonaro despreparado, durante a campanha presidencial, o livro Tormenta, da jornalista Thaís Oyama também expõe o motivo da não escolha de Janaína Paschoal como sua vice. “Essa mulher vai pedir meu impeachment”, disse Bolsonaro sobre ela.

Abaixo, o material de divulgação sobre o livro que está sendo lançado pela Companhia das Letras:

Um retrato implacável do primeiro ano de Bolsonaro no poder.

 De uma das eleições presidenciais mais polarizadas da história republicana, sai vitorioso Jair Messias Bolsonaro, ex-capitão do Exército que chegou a defender publicamente a tortura, autor de não mais que dois projetos de lei aprovados ao longo de 27 anos de mandato como deputado e merecedor de apenas três dos 512 votos de seus pares na última vez que tentou se eleger presidente da Casa, em 2017.

A partir de um rigoroso trabalho de reportagem, Tormenta revela como opera o governo do 38o presidente da República, que forças se digladiam entre as paredes do Palácio do Planalto e de que forma as crenças e os temores — reais e imaginários — de Bolsonaro e de seus filhos influenciam os rumos do país.

O livro traz detalhes surpreendentes sobre a crise interna de seu mandato, revelando segredos dos generais que o cercam no Palácio, intrigas que corroem o primeiro escalão do poder e bastidores que não chegaram aos jornais.

 Mais do que mostrar as peculiaridades e a dinâmica do governo de Jair Bolsonaro — e de nos situar no calendário dos atribulados primeiros 365 dias de sua gestão —, a narrativa de Thaís Oyama ajuda o leitor a compreender o ano que passou e a vislumbrar o que nos aguarda.

247

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS