‘Cem Anos de Solidão’ chega aos 50 anos de sucesso

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Clima de expectativa foi chave para triunfo Garcia Márquez

O que Gabriel García Márquez fez com Cem Anos de Solidão foi devolver à literatura a imaginação que, durante um século, arrebatou o “racionalismo obscurantista”, disse à ANSA Conrado Zuluaga, especialista na obra do Nobel colombiano.

O que Gabriel García Márquez fez com Cem Anos de Solidão foi devolver à literatura a imaginação que, durante um século, arrebatou o “racionalismo obscurantista”, disse à ANSA Conrado Zuluaga, especialista na obra do Nobel colombiano.

“O que fez García Márquez? Devolveu à literatura o que passa por sua cabeça, que também faz parte da realidade. Seus sonhos e pesadelos, suas aspirações e frustrações, seus momentos mágicos e os trágicos, mas não só aqueles que vivemos, mas aqueles que passam pela mente”, destacou o escritor e acadêmico colombiano.

Para Zuluaga, o “realismo obscurantista”, próprio da política, tinha se apoderado da literatura, deixando de lado a imaginação e os sonhos como uma opção do pensamento, algo que faz parte da arte e que caracterizou livros como “Dom Quixote”, cheio de simbologia e proximidade com o leitor.

Oscar Escamilla, Ansa

 

OUTRAS NOTÍCIAS