Corpo do poeta Pablo Neruda será exumado segunda-feira

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

A morte do poeta e Prêmio Nobel chileno Pablo Neruda, ocorrida pouco depois do início da ditadura de Augusto Pinochet em 1973, era dada como um caso encerrado no Chile, mas a Justiça exumará seus restos mortais na próxima segunda-feira (8) para esclarecer se ele foi, ou não, assassinado.

O corpo do poeta, enterrado em sua casa no balneário de Isla Negra, na costa central chilena, será exumado às 8h, hora local (mesmo horário de Brasília). Os trabalhos de remoção da sepultura começam no domingo, informou o juiz responsável pelo caso, Mario Carroza.

Peritos chilenos e estrangeiros vão examinar os restos mortais do Nobel de Literatura de 1971, em busca de substâncias tóxicas, que possam comprovar o envolvimento de terceiros. O objetivo é descartar, ou confirmar, a denúncia de seu ex-motorista e assistente pessoal, Manuel Araya. Ele garante que Neruda morreu poucas horas depois de ser envenenado com uma suspeita injeção no peito, e não fruto de um câncer, como se acreditava até agora.

Araya, hoje com 65 anos, denuncia há décadas que Neruda foi assassinado pela ditadura de Pinochet para evitar que fosse para o México e, de lá, comandasse a oposição, como pretendia. Na época, o Partido Comunista, no qual Neruda militava, encarregou Araya da segurança do poeta.

Somente em junho de 2011, a justiça chilena aceitou investigar o caso, após o pedido apresentado pelo PC com base nos relatos de Araya. Segundo os demandantes, várias situações corroboram a versão do crime.

Fonte: Redação

OUTRAS NOTÍCIAS