Tempo - Tutiempo.net

ARMANDO MONTEIRO É O NOVO MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO

A presidente Dilma Rousseff confirmou nessa segunda feira, 1º de dezembro, mais um ministro que atuará durante seu segundo governo.

 

O nome do senador Armando Monteiro Filho (PTB-PE) foi oficializado como titular da pasta do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

 

O comunicado divulgado pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República afirma ainda que Dilma agradece a dedicação e lealdade do ministro Mauro Borges, que permanecerá no ministério até que esteja concluída a transição e a formação da nova equipe.

 

Além da sua ligação com o setor empresarial, Armando já presidiu a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A indicação do senador também tem como meta uma reaproximação com o PTB, que deixou a base governista nas últimas eleições.

 

No discurso que fez logo após o anúncio, Armando defendeu que o “desafio central” da pasta que passa a comandar é promover a competitividade para inserir o Brasil em uma “economia mundial cada vez mais integrada”.

 

Ele também defendeu a conclusão dos acordos comerciais com o Mercosul e com a União Europeia, além de defender novos acordos comerciais com os países da América do Sul.

 

“O desafio central é promover a competitividade. O que significa reduzir custos sistêmicos e elevar a produtividade. A agenda da competitividade envolve várias áreas dentro do governo e demanda intensa articulação e coordenação. É papel primordial do Ministério do Desenvolvimento realizar essa tarefa. E colocar o tema da competitividade no centro da agenda política do país”, disse Armando em entrevista coletiva, nesta segunda-feira (1), logo após ser anunciado oficialmente para gerir o ministério.

 

Para Armando, que já presidiu a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o setor industrial é “sempre o melhor caminho” para o crescimento. “Com criação de emprego, disseminação de conhecimento e geração de divisas. A revalorização do papel da industrial está sendo reconhecido em todo mundo, com definição de políticas industriais até mesmo em economias maduras”, disse.

 

Armando Monteiro também defendeu a atual política do governo da presidente Dilma Rousseff que, segundo ele, foi capaz de manter o nível de desemprego em baixa, apesar das “adversidades e turbulências”. “Mas nosso país ainda apresenta elevados custos, com sistema tributário complexo que onera investimentos e exportações”, completou.

 

O ministro também disse que a melhoria da competitividade segue um alinhamento com os princípios da política econômica anunciadas pelos novos ministros da Fazenda e do Planejamento, Joaquim Levy e Nelson Barbosa, respectivamente.

 

“O reequilíbrio macroeconômico é condição fundamental para fortalecimento da confiança e da retomada de um crescimento mais vigoroso”, destacou.

 

Em relação ao comércio exterior, Armando disse que é necessário concluir as negociações de acordos comerciais que já estão em andamento e ampliar as possibilidades com países da América do Sul.

 

“Precisamos envidar esforços para concluir o acordo entre o Mercosul e União Europeia, que está avançado. Podemos promover um acordo com os países da América do Sul que integram a aliança do pacífico, como o Chile e Colômbia”, disse.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS