As notícias mais comentadas

Aécio Neves vai comandar o PSDB

Já era de se esperar. O senador Aécio Neves (MG) será o novo presidente do PSDB. A eleição ocorre na próxima semana, durante convenção da legenda em Brasília.

Conforme o estatuto do partido, as chapas para concorrerem devem ser registradas até 12 dias antes da convenção e, como nenhuma outra foi formalizada até este sábado (11), o Aécio não terá opositor.

Recursos do mensalão devem ser rejeitados

Rejeição foi o conteúdo do parecer do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Agora fica dependendo do ministro, Joaquim Barbosa, liberar os embargos para julgamento. O grande final se aproxima.

Uma visita de custo altíssimo


Com um custo de 118 milhões de reais o Papa Francisco visitará o Brasil. Esse valor será bancado pelo governo federal que financiará 62 milhões, sendo 30 milhões para a segurança do Pontífice.

O Estado e o Município do Rio de Janeiro financiarão R$ 28 milhões cada. O Papa Francisco estará na capital fluminense para a 26ª Jornada Mundial da Juventude, entre 23 e 28 de julho.

Um efetivo de 10.700 homens será empregado na segurança enquanto Francisco estiver no Brasil. Serão 9 mil integrantes das Forças Armadas e 1,7 mil da Força Nacional.

A Igreja contratará 2 mil seguranças privados. Haverá 1,5 mil homens da Força Nacional somente em Guaratiba, local de uma vigília e missa campal.

.
Inflação afeta renda do brasileiro e dificulta queda da inadimplência

A inadimplência do consumidor patina e recua em ritmo lento nos últimos meses porque a disparada da inflação acabou achatando a renda das famílias, especialmente as mais pobres e que gastam mais com alimentos.

Para manter o padrão de consumo, a saída encontrada pelas famílias foi assumir novas dívidas. Isso amplia o risco de inadimplência futura num cenário de alta da taxa de juros.

O índice de calote dos empréstimos com recursos livres do sistema financeiro fechou o ano em 8%, segundo o Banco Central (BC).

 Em março, o último dado disponível, a inadimplência tinha recuado para 7,6%. A expectativa do economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Fabio Bentes, era que a inadimplência recuasse para a média histórica, que é 7,3%, em outubro deste ano.  Agora acredita que essa marca será atingida só em dezembro.

Fonte: Redação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS