Barbosa, mais uma vez, falou o que quis e ouviu o que não quis

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Incapaz de manter relações civilizadas com seus pares no Poder Judiciário, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, mais uma vez, falou o que quis e ouviu o que não quis.

 

Ontem, numa reunião do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o ministro novamente atacou colegas da magistratura, de forma generalizada. “Há muitos (juízes) para colocar para fora. Esse conluio entre juízes e advogados é o que há de mais pernicioso. E sabemos que há decisões graciosas, condescendentes, fora das regras”, afirmou.

 

A resposta não tardou a chegar. “A imprensa divulgou que o ministro tem uma namorada advogada. Como é que fica isso?”, indagou. Toldo refere-se a Handra Amorim, de 24 anos, que, além de advogada, pretende prestar concurso e seguir carreira no Supremo Tribunal Federal.

 

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Furtado, por sua vez, foi irônico. “A ouvidoria da OAB está à disposição do ministro Joaquim Barbosa e de quem quer que seja para denunciar casos de lobby envolvendo advogados. A Ordem é contra qualquer tipo de relações promíscuas e tem seu Código Ético Disciplinar para ser aplicado nesses casos, não importa quem seja: advogados, filhos de advogados, parentes e até amantes”.

 

Incapaz de conter suas agressões, Barbosa até hoje não respondeu a uma nota dos magistrados, que motivou também seu ataque a um jornalista do Estado de S. Paulo.

Fonte: Brasil 247

OUTRAS NOTÍCIAS